Tatianices recomenda [30] — Freela School

Este post traz a você que é freelancer ou autônomo, uma dica que pode ser muito útil (ao menos para mim foi e tem sido).

Desde 2020 eu sou MEI, isto é, uma Micro Empreendedora Individual. Trabalho para mim mesma, faço meu horário, invento uma rotina. O que pode parecer um sonho, porém, nem sempre é: ser freelancer exige muita organização, muito jogo de cintura e muito planejamento.

Caí nesse mundo quase que de paraquedas, porque a vida inteira imaginei que trabalharia em algum lugar, com estabilidade, 30 dias de férias por ano, salário fixo caindo mensalmente, décimo terceiro… Acabei, porém, não tendo uma experiência tão agradável assim nesse sentido. Já contei um pouco sobre a minha demissão e sobre o que veio depois lá no Linkedin.

Quase que por acaso, porém, justamente no ano passado, conheci o perfil do Freela School, no instagram. Vi esse nome marcado nos stories de uma pessoa que eu seguia e logo fui fuçá-lo, porque por mais que eu estivesse tentando me organizar aos poucos, ainda sentia que tinha muito a trilhar. A verdade é que, como freelancer, sempre temos ainda muito a trilhar.

Só o conteúdo disponível gratuitamente nesse instagram já me fez pensar muito e providenciar algumas coisas que, em 2021, me permitem ter um pouco mais de tranquilidade do que eu tinha antes. Claro que ainda falo de um lugar extremamente privilegiado, pois moro com meus pais e não tenho de pagar contas todo mês, o que me dá mais tempo disponível e mais condições de organizar um planejamento financeiro adequado.

Para além do que é postado no instagram, o Freela School também tem muito conteúdo gratuito disponível em seu blog e, para quem quiser/puder investir um pouco mais, há opções de mentorias e cursos pagos. Eu ainda não dei esse passo de pagar por um dos cursos, mas eles sempre são bem atraentes.

No começo, eu achava que havia uma super equipe por trás desse projeto, mas aos poucos fui descobrindo que, até pouco tempo, ele era basicamente conduzido pela sua idealizadora, Denise Saito, que atuava, antes do Freela, como designer, área para a qual há bastante conteúdo na página também.

O Freela School, porém, é uma página que pode ajudar freelancers de qualquer área, nos fazendo pensar sobre nossas finanças, planejamento e organização. Foi a Denise que me abriu a cabeça para o fato de que, se eu sou minha chefe, tenho que me tratar como minha funcionária, me pagando um salário mensal, férias, décimo terceiro… Tudo aquilo que eu achava que só seria possível trabalhando em uma empresa e tendo um chefe que não fosse eu mesma.

Dependendo da área na qual atuamos, a vida de um freelancer pode ser um pouco solitária e angustiante, mas com o Freela School vemos que não precisa ser assim. A Denise sempre nos mostra convidados em seus conteúdos, nos mostrando como é possível — e muito importante também — criar uma rede.

Você já conhecia o Freela School? O que achava ou o que achou agora que conheceu?

E quem também tem compartilhado conteúdos bacanas sobre a rotina de freelancer, mais especificamente do universo editorial, é a Camila, do A Bookaholic Girl. Vale a pena conferir!

Se gostou, comente aqui (;

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s