Resumão ~ Dezembro 2020

E chegamos ao final de 2020!

Não sou uma pessoa que acredita que só porque um novo ano se inicia, tudo muda. Mas acredito que sempre é tempo de fazer novos planos, traçar novas rotas, estabelecer novos sonhos.

Estou sempre mudando. Não sei se para melhor ou para pior, mas ao menos tento aprender algo com cada fase. Também tento sempre seguir os meus planos e, por isso, dezembro foi mais um mês de conteúdos variados por aqui (sem jamais me esquecer dos livros, claro).

As resenhas do mês foram:

Além disso, postei meu último diário de leitura de As mil e uma noites; traduzi um artigo sobre os benefícios da leitura em voz alta; expliquei a diferença entre formalidade e informalidade na língua italiana; apresentei o Literatura Errante; escrevi uma reflexão sobre o fato de toda história ter dois lados; comentei sobre os resultados do meu desafio de 12 livros para 2020; falei sobre a música Enquanto houver sol (Titãs). Ufa!!

Dezembro ainda foi um mês de bastante trabalho e, nesta última semana, de um quase descanso. E as leituras encontraram um bom ritmo! Este mês eu terminei de ler Alameda do Carvalho (Ninna Vicari) e A bibliotecária de Auschwitz (Antonio G. Iturbe) e ainda li Enlace (Ana e Érulos Ferrari), Um namorado para minha mãe (Rafa Alves), Calafrio (Tayana Alvez), Enseada negra (Brias Ribeiro) e Céu de menta (Camila Martins).

E, para começar o ano com novidades, gostaria de informar que não farei mais os tradicionais resumões por aqui, porque tenho comentado sobre os posts nas minhas newsletters, enviadas quinzenalmente (ou quase!). Então, se você não quer perder nada, inclusive seu tempo, assine (gratuitamente) a minha newsletter e saiba mais sobre os últimos posts antes de lê-los completamente. Para assinar, basta clicar aqui.

E se ainda está em dúvida, confira aqui as news anteriores:

  • News 1: Hoje é um dia especial
  • News 2: Antes de mergulhar, pegue fôlego
  • News 3: Vamos olhar para o sol

Por fim, gostaria de te agradecer por ter me acompanhado ao longo deste estranho 2020! Desejo que 2021 seja mais tranquilo e recheado de boas surpresas. Espero que você tenha uma ótima virada de ano, não se esquecendo de se cuidar e manter o distanciamento social!

Resumão ~ Novembro 2020

É, minha gente, 2021 está cada vez mais próximo… O que levaremos deste ano de 2020? Que neste mês de dezembro possamos tirar alguns minutos para pensar nisso. Não que eu ache que só porque vamos sair de um ano e entrar em outro, tudo mudará magicamente. Mas acho importante esse exercício de olhar para trás e ver o que é preciso mudar.

Enfim, temos um mês aí pela frente, para fazermos isso. Por hora, fico com a retrospectiva do mês por aqui!

Aliás, novembro foi mês de novidade. Arrumei o texto da abra sobre, aqui no blog e criei a aba portfólio para compartilhar com vocês os meus trabalhos. De resto, segui com a programação normal.

As resenhas do mês foram:

Meus diários de leitura foram:

Também escrevi meu último post da série “desmistificando o mestrado”, falando um pouco sobre a minha pesquisa; postei uma tradução sobre filhos que não leem; fiz uma reflexão sobre ser ou não escritora.

Minhas leituras foram os contos resenhados e também terminei — finalmente — As mil e uma noites. No momento, estou lendo Alameda do Carvalho (Ninna Vicari).

E conte-me: como foi o seu mês de novembro?

Resumão ~ Outubro de 2020

O fim do ano se aproxima a passos largos. Mas tenho pensado muito sobre a questão do tempo… Ao menos do tempo que nós estabelecemos. Horários, calendários, datas comemorativas… Essas coisas não ganharam (ou deveriam ter ganhado) um novo significado em 2020?

Muitas vezes enxergamos a chegada de um novo ano como a solução para muitos problemas. Porém, sabemos que estamos apenas nos enganando. E agora mais do que nunca.

Se é assim, contudo, sempre é tempo, não? Tempo de refletir, de mudar, de recomeçar. E é isso que vejo para este mês de novembro: um mês de novidades, de (mais) reflexão, de recomeços. Nunca é tarde (ou cedo demais — e juro que isso não foi uma tentativa de fazer uma brincadeira com a música).

Uma das novidades do mês de novembro é que acabei de criar uma newsletter para o Blog. O que é isso? Nada mais é do que um email que enviarei quinzenalmente aos interessados, com um resumo dos posts, além de outras informações sobre lançamentos, eventos, parcerias literárias — coisas que nem sempre consigo trazer aqui, em suma. Se você tiver interesse em receber a newsletter, basta deixar seu email aqui ou nos comentários.

Também pretendo mexer em algumas abas daqui, mas nada que influencie nos posts, apenas na minha apresentação mesmo. E para o instagram, tenho pensado em formas de compartilhar ainda mais minhas leituras nacionais, pois sinto que os autores ainda não são valorizados e reconhecidos como merecem.

Mas antes de tudo isso, vamos ver o que rolou no Blog em outubro, não? Vai que você perdeu algum post que possa te interessar!

Comecei o mês com um post sobre o mestrado, explicando o que sei sobre a avaliação CAPES. Se você faz ou pensa em fazer uma pós-graduação, recomendo fortemente que leia.

Em seguida, avançando em minha leitura de As mil e uma noites, escrevi alguns diários de leitura: figuras femininas e masculinas, brincadeira sem limites, a whole new world — este último, finalmente sobre a história do Aladim!

Dentre os demais conteúdos, falei sobre biblioteca viva, sobre críticas e também trouxe dicas de materiais de italiano gratuitos.

As resenhas de outubro foram:

Já as leituras foram poucas, ao contrário do trabalho, principalmente com livros. Em outubro eu li:

  • Positivo (Marcela Brazão)
  • Gostosuras ou travessuras (Editora Lettre)
  • Árvore de espíritos (Michelle Pereira)

No momento, estou lendo “A bibliotecária de Auschwitz” (Antonio G. Iturbe) e, claro, “As mil e uma noites”.

E vocês, o que têm feito? O que têm lido?

Resumão ~ Setembro de 2020

Setembro foi um mês… Intenso. Dias corridos, dias reflexivos, conflitos, calmarias, trabalhos. Um daqueles meses que parece que tudo vem de uma vez só. Já aconteceu com você?

Esse mês se refletiu até mesmo aqui no Blog: fiz uma pausa durante uma semana, pela total falta de tempo de sentar e escrever o que e como eu gostaria. Coincidentemente (ou não), uma semana antes de tal pausa, eu estava pensando muito sobre o instagram no qual divulgo os posts daqui. Estava refletindo se valia a pena continuar com o perfil ali, com o trabalho que ele me traz (mas também com todas as coisas boas que somente através dele eu consegui).

Algumas pessoas sugeriram que uma pausa poderia ajudar. Bom, era para ser uma pausa do instagram mas, forçadamente, foi uma pausa de tudo isso. E tudo bem, voltei para cá ainda mais empolgada (por sorte, as ideias já estavam prontas, faltava “só” escrever). Quanto ao instagram, estou tentando levar mais tranquilamente, sem me importar com números e com aquele tal de engajamento, que só dá dor de cabeça.

Mas vamos ao que interessa, né? Depois de tudo isso, setembro está se encerrando hoje e eu gostaria de relembrar o que rolou por aqui durante o mês que, aliás, começou com uma resenha de matar (com o perdão do péssimo trocadilho). Sendo assim, comecemos pelas resenhas:

Com relação aos meus diários de leitura de As mil e uma noites, fiz apenas dois: para pensar sobre outras culturas e destacando alguns aspectos. Realmente não li muito dessa obra durante o mês de setembro, mas gostei bastante do que li. Mais uma vez, o problema foi a total falta de tempo mesmo, porque o livro tem me interessado mais do que eu imaginava.

Falei, ainda, sobre a bolsa de pesquisa, no meu 12º post sobre o mestrado e sobre métodos de ensino de línguas. E também teve música (com uma breve história engraçada sobre a minha vida), um post especial, em comemoração ao primeiro aniversário da Editora Lettre e tradução com o tema “Por que amamos ler?“.

Não dá para dizer que foi ruim, não é mesmo?

Minhas leituras do mês não foram muitas (ao menos não as que já posso comentar aqui… As revisões seguiram intensas em setembro!):

  • Os dois contos do Maicon Moura (já resenhados)
  • Assassinato na praia (Mike Flint)
  • Giselle (Thais Rocha)

Esse último livro, aliás, estou bem ansiosa para resenhar. Uma obra incrível! E foi o meu 30º livro lido este ano (os contos não estão incluídos nesta contagem).

Quando digo que as revisões foram intensas ao longo do mês, estou falando de alguns livros ainda não publicados, mas também de diversos contos publicados no site Literatura Errante, que te convido a conhecer. Todo dia sai um novo texto por lá e este é um espaço que espero que cresça bastante, mais um lugar para compartilharmos nosso amor à literatura brasileira!

Agora me diz, como foi o seu mês de setembro?

Resumão ~ Agosto de 2020

Eis que mais um mês chega ao fim. Passando rápido, passando lento. Fazendo calor, fazendo um frio do cão. Sigo em casa, mas agora com a sensação de que só eu tenho seguido em casa. Vez ou outra alguém me lembra que não, mas é raro.

Porém, seguimos trazendo conteúdos novos a cada semana aqui no Blog. Neste cantinho, me sinto ainda mais em casa, mas de uma maneira boa.

O primeiro post de agosto foi o nono diário de leitura de As mil e uma noites. O décimo diário de leitura marcou o final do primeiro volume da edição que tenho desta obra. E este mês trouxe, ainda, o décimo primeiro diário de leitura.

Agosto também foi o momento de trazer alguns assunto que há tempos eu queria ver por aqui: como ler mais gastando menos?, a temida defesa do mestrado, o que você gosta nos livros que você curte? e o mito do professor nativo.

As resenhas que apareceram por aqui foram:

E eu também trouxe algumas citações que ficaram de fora da resenha do livro “Eu quero mais” (Tayana Alvez).

Além de alguns dos livros resenhados, em agosto eu também consegui ler “As pequenas virtudes” (Natalia Ginzburg) e “Serial Killer: a verdadeira face do mal” (antologia organizada por Larissa Oliveira).

E me conte, como foi o seu mês de agosto?

Resumão ~ Julho de 2020

É chegado o dia de nos despedirmos de mais um mês. Só eu achei que julho passou voando? Fora que, mesmo sem sair de casa, parecia que 24 horas era pouco para fazer tudo o que eu queria…

Mas também, julho realmente foi um mês literariamente intenso! A começar pelo fato de ter sido o mês da pré-venda de “Um amor para chamar de meu” (hoje é o último dia para adquirir seu exemplar físico, corre!).

Eu fiz muitas leituras que ainda não posso comentar por aqui, mas que foram ótimas. E, claro, continuei lendo “As mil e uma noites”, como vocês puderam ver nos diários 5 — A repetição em As mil e uma noites —, 6 — A riqueza de um clássico —, 7 — Choque temporal —, e 8 — fechando histórias abertas.

Também foi neste mês que dei início a uma nova sessão aqui do Blog, sobre ensino e aprendizagem de línguas. O primeiro post foi “como aprender novas línguas?“. E em breve tem mais! Além disso, também escrevi sobre enfrentar a página em branco (pensando principalmente no âmbito do mestrado).

A tradução que eu trouxe esse mês foi sobre Blackout poetry, uma técnica que vale a pena conhecer! E, ainda mergulhando no universo literário, quis falar um pouquinho sobre o que há dentro de um livro.

As resenhas de julho foram apenas três, mas de obras incríveis e nacionais que vocês deveriam ler:

Minhas leituras foram os dois livros e o conto acima, além de uma leitura beta e várias revisões de livros que, em breve, espero poder apresentar a vocês. E também andei escrevendo mais um conto…

E não posso deixar de dizer que esse mês ainda teve a FLIPOP, dessa vez, 100% online. Para quem não sabe, a FLIPOP é um Festival de Literatura Pop organizado pela Editora Seguinte e as mesas desse ano foram incríveis. Para nossa sorte, elas estão gravadas lá no canal da Seguinte.

Mas e para vocês, como foi esse mês de julho?

Resumão — Junho de 2020

Eita mês difícil, sô! Por aqui, ao invés de pular fogueira nesse estranho mês de junho, quase pulei algumas postagens, mas respirei fundo, sentei e escrevi. Sigo em isolamento social, mas aproveitei o atípico calor junino que fez durante boa parte dos dias.

As resenhas do mês foram:

Mas, além das resenhas, esse mês dei início a uma nova seção literária por aqui: o diário de leitura. E após o post introdutivo, escrevi contar histórias salva vidas?, a curiosidade matou o gato? e quantas coisas podemos aprender?. Pois é, percebam que esse livro está me deixando em parafuso!

Para não perder o costume, também fiz um post sobre dados da pesquisa (para a seção em que eu explico um pouco como funciona um mestrado), trouxe citações de A casa de vidro, publiquei uma tradução — infelizmente, sobre a morte do escritor Carlos Ruiz Zafón — e falei um pouquinho sobre a música Notícias do Brasil (Milton Nascimento).

Minhas leituras foram basicamente os livros que resenhei ao longo do mês, além, claro de “As mil e uma noites” (leitura ainda em curso). E, no momento, estou lendo também “O alquimista prodígio”, do autor nacional Leblon Carter.

Resumão — maio de 2020

O que eu andei aprontando por aqui em maio? Este é o momento de conferir tudo! Mas eu também quero saber o que vocês fizeram de bom esse mês. Me conta nos comentários?

Comecei o mês com uma TAG sobre mulheres na literatura, e foi super gostoso respondê-la. De conteúdos diferentes também falei sobre o que é a qualificação, no mestrado; trouxe alguns quotes do incrível Os guardiões dos livros e do igualmente maravilhoso Cadeados; apresentei os microcontos da Michelle Pereira; traduzi um artigo que fala sobre quando a escola nos faz odiar os clássicos; e, por fim, falei sobre a música Ideologia. Ufa!

Já as minhas resenhas foram:

Os livros lidos ao longo de maio foram exatamente os resenhados este mês, exceto “Quando a noite cai”, que li no final de abril. E, no momento, estou lendo:

  • Me poupe (Nathalia Arcuri)
  • Um mistério entre nós (Paula Barros)

Resumão — Abril de 2020

Resumão — abril de 2020

Mais um mês em casa chegando ao fim… Mas, não sei, abril foi um mês interessante, apesar de tudo. Não li muito (mas li um livro ótimo), mas gostei de alguns conteúdos que trouxe para cá e, principalmente, da interação de vocês nesses conteúdos. Muito obrigada, pessoal!

As resenhas que trouxe para cá foram:

Além disso, como de costume, falei sobre o Mestrado (mais especificamente sobre o PAE) e na parte de músicas trouxe Apesar de você. Também recomendei o Forest, um aplicativo que me ajuda a manter o foco. Mas o diferente em Abril foi ter trazido mais conteúdo relacionado à literatura ou ao ato de ler no geral, além de falar um pouco sobre minhas aventuras no mundo literário no papel de autora e organizadora de uma antologia. Os posts desses temas foram:

Minhas (poucas) leituras de abril foram:

  • Os guardiões dos livros (Ana Farias Ferrari) — livro incrível, confiram a resenha!
  • Quando você perde também ganha (T. S. Rodriguez) — conto
  • Quando a noite cai (Alessandra Ribeiro de Abreu)

E ainda estou lendo (quase a mesma quantidade de livros lidos em abril, sos)

  • Cadeados (Nuccia de Cicco)
  • A princesa salva a si mesma neste livro (Amanda Lovelace)
  • A professora de piano (Janice Y. K. Lee) — pensando em abandonar essa leitura, ao menos por enquanto.
  • Maldito italiano (Bianca Brito) — também não pego nesse desde fevereiro, fiquei com preguiça.

Resumão — Março de 2020

RESUMÃO — MARÇO 2020

E março chegou ao fim. Um mês um tanto quanto conturbado, diferente, assustador. Um mês que passou voando, mas feito terremoto. Por aqui, tentei manter a leveza e o ritmo. Tentei trazer as resenhas de sempre, na esperança de que agora, mais do que nunca, elas possam servir como dicas de leitura para essa quarentena. E claro que, além das resenhas, trouxe outros conteúdos também. Vamos conferir?

Resenhas:

No comecinho do mês eu ainda respondi uma TAG e falei sobre 3 livros que marcaram a minha vida. Depois, trouxe um post sobre créditos e disciplinas no Mestrado, outro sobre a música Drão e, por fim, um sobre o Tubaína Bar.

Com relação às leituras, em março eu li:

  • Música em contos 1 (org. Susana Silva) — Antologia
  • Petrus (Jéssica Miguel) — Conto
  • Prometo ser cruel (Larissa Oliveira) — Conto
  • A diferença invisível (Mademoiselle Caroline & Julie Dachez) — HQ

E ainda estou lendo:

  • Maldito italiano (Bianca Brito)
  • A professora de piano (Janice Y. K. Lee)
  • Os guardiões dos livros (Ana Farias Ferrari)

Confesso que o ritmo de leitura não anda tão bom. Estou lendo três livros porque, na verdade, comecei dois que não me prenderam tanto e aí fui para o terceiro, que finalmente me animou mais.

E para vocês, como foi esse mês de março?