Citações 49 — Não precisamos dele

Hoje não trarei aqui tantos trechos da obra Não precisamos dele (Taynara Melo), cuja resenha você pode conferir neste post. No entanto, são passagens que eu não poderia deixar de dar o devido destaque.

Como dito na resenha, neste livro temos a história de duas mulheres que estão passando por um momento importante e intenso em suas vidas.

“Amo a mulher que me tornei, embora cheia de cicatrizes”

E é justamente por tudo o que têm vivido que elas têm tanto a nos ensinar, o que torna a leitura desta obra tão enriquecedora e prazerosa.

“Lugar de mulher é onde ela quiser estar”

E elas ensinam e transmitem mensagens para além do óbvio, nos fazendo enxergar possibilidades e destinos que nem sempre encontramos em outros livros como este.

“Desde o meu divórcio, me sinto livre”

Durante a leitura, acho difícil não encontrar ao menos um momento com o qual você se identifique. Ou então ecos de pensamentos que você já tenha tido.

“É engraçado como as pessoas olham para as mulheres pequenas e acreditam que elas são frágeis. Tanto no físico como no emocional”

Se depois destas passagens e de ler a resenha de Não precisamos dele, você ficou com vontade de conhecer melhor a história da Miranda e da Anna, não deixe de clicar aqui:

Citações #48 — Cartola (antologia)

A antologia Cartola é uma obra recheada de contos encantadores, como apresentei ao longo desta resenha. Muitos trechos bonitos, porém, ficaram de fora e hoje trarei mais alguns deles (deixando, ainda, outros tantos sem a sua vez, porque tem realmente muita coisa boa ali).

“Quando uma estrela escolhe você, não existe caminho de volta, seu coração começa a precisar daquele brilho para viver”

Corra e olhe o céu (Ana Farias Ferrari)

Como mencionado na resenha, essa obra nos traz sentimentos e temáticas como a tristeza:

“Não ligava mais para queimaduras. Tinha vivido coisas piores”

Alvorada (Bruny Guedes)

“Pouco a pouco, a magia da música foi se perdendo”

Cordas de aço (Thais Rocha)

“Todos estavam tristes, mas não queriam lidar com isso”

Corra e olhe o céu (Ana Farias Ferrari)

A angústia:

“Eu acho que esse foi o instante que ela, Cilene, percebeu que havia mais felicidade no mundo do que ela tinha naquela ocasião”

Amor proibido (Nilsa M. Souza)

“As pessoas dizem que desistir é covardia, contudo, esse talvez seja o meu maior ato de coragem”

As rosas não falam (Lili Dantas)

“Temi que seu eu tivesse que passar pelo ritual de despedida, talvez não conseguisse virar as costas e seguir meu plano adiante”

Meu drama (Ana Paula Del Padre)

A amizade:

“Não se quebra uma amizade”

Amor proibido (Nilsa M. Souza)

A memória e o esquecimento:

“É curioso como cheiros nos imprimem memórias como se fossem tatuagens”

As rosas não falam (Lili Dantas)

“Dizem que as viagens favorecem o esquecimento”

Peito vazio (Simone Aubin)

Ou o distanciamento:

“Às vezes, a pior atitude é não querer se envolver”

O mundo é um moinho (Alessandra Solletti)

“Frio não é só sobre o clima, é também um estado de espírito”

O sol nascerá (Meg Mendes)

A vida e a morte (assim mesmo, juntas e misturadas):

“Em meio ao meu tormento, não mais particular, ele me abraça como se jamais fosse deixar-me ir. E eu não quero”

As rosas não falam (Lili Dantas)

“Você nunca pensa que vai morrer até estar diante da iminência da morte”

Autonomia (C. B. Kaihatsu)

E, claro, o amor, sentimento sempre tão presente e tão intenso:

“Há tempos eu não sentia as emoções juvenis de quando nos sentimos doentiamente atraídos por alguém”

As rosas não falam (Lili Dantas)

“Me pergunto, como ainda é possível eu amar o comportamento odioso nela, a resposta vem fácil logo em seguida, só é possível amar a luz de uma pessoa se também amarmos a sua escuridão, um não existe sem o outro”

As rosas não falam (Lili Dantas)

“O tema do meu trabalho, Amor: efêmero ou eterno?, era minha última esperança em acreditar que as relações duradouras e verdadeiras existiam de verdade. De que ainda valia a pena amar, ou então, me conformar que tudo é mesmo uma mentira e que o amor é apenas uma ilusão dolorosa”

Disfarça e chora (Juliana Kaori)

“Amor, amor de verdade mesmo, não olha a quem, não tem regra, dura o que tem que durar”

Disfarça e chora (Juliana Kaori)

Se tiver gostado desses trechinhos, não deixe de conhecer a obra completa. Como eu disse na resenha, a leitura me surpreendeu bastante (positivamente)!

Citações #47 — Os sete maridos de Evelyn Hugo

Os sete maridos de Evelyn Hugo, da Taylor Jenkins Reid é aquele livro que a gente vê todo mundo comentando, mas que só lendo podemos entender o quanto é realmente bom.

Já postei minha resenha por aqui e agora trago mais alguns trechinhos dessa obra realmente surpreendente. Serão poucos, mas foram passagens que eu gostei e não queria perdê-las de vista.

Como comentei anteriormente, a obra nos apresenta a uma lendária estrela Hollywoodiana e, com isso, nos dá uma visão muito interessante do “por trás das telas“.

“É impossível ter intimidade sem confiança. E seria uma idiotice da nossa parte confiar umas nas outras”

Porém, o que surpreende é que a história consegue ir muito além disso, abordando questões como a homossexualidade (em tempos ainda mais complicados que hoje).

“Ele se revelou para mim, ainda que de forma vaga. E eu reagi com aceitação, ainda que de forma indireta”

O livro também fala sobre violência doméstica e relacionamentos abusivos.

“Com dois meses de casamento, ele começou a me bater”

“Desconfie de homens que precisam muito provar alguma coisa”

E, como não poderia deixar de ser, visto que a protagonista se casou sete vezes, fala sobre o amor, as relações humanas, os laços afetivos (elementos que também permeiam, de certa forma, muitas das passagens já trazidas até aqui).

“As pessoas acham que intimidade tem a ver com sexo. Mas intimidade tem a ver mesmo é com a verdade”

“A decepção amorosa é uma perda. O divórcio é um documento”

Citações #46 — Proibida pra mim

Costumo ter em mente que um dos indicadores de que eu amei um livro é a quantidade de trechos dele com os quais me identifico ou que chamam a minha atenção.

Ainda assim, estou totalmente surpresa com o tanto de quotes de Proibida pra mim, da Tayana Alvez, que tenho para trazer aqui. Provavelmente deixarei alguns de fora, porque é realmente muita coisa. Mas não era para menos: o livro é realmente ótimo, além de relativamente extenso.

“E, pela primeira vez em anos, isso lhe traz esperança em vez de a assustar”

Na resenha, comecei destacando Lavínia, a protagonista desta obra. Mesmo assim, muitas coisas ficaram de fora, então aqui vão alguns trechinhos a mais para conhecê-la melhor, ressaltando o fato dela tentar ser fria e forte, mas, ainda assim, não conseguir lutar e acreditar em coisas boas para si.

“É, você tem um pedacinho de coração em algum lugar aí”

“— Quando a Lavínia precisa de alguém, não é porque ela está machucada, é porque ela quebrou, Mandy”

“Eu gostaria que você lutasse mais pelas coisas, minha filha”

Também mencionei como é difícil não se identificar em alguma medida com esse furacão chamado Lavínia.

“Lavínia traz uma cor diferente à sua vida, e o que mais o surpreende é que, antes dela chegar, ele nem tinha percebido o quão preto e branco era”

“Só alguém que guarda todos os pesos do próprio mundo consegue ler outra pessoa na mesma situação com facilidade”

“Cair, agora, seria mais do que o fim de um amor, seria o fim de todas as pontes que ela construiu, de todas as permissões que ela deu a si mesma, e ela não se sente nem um pouco preparada para isso”

“Os primeiros meses do ano sugaram toda a sua energia vital e, agora, ela precisa de calmaria e solidão para recarregar suas baterias”

Como boa apaixonada por romances que sou, não poderia de ter amado esse livro pela boa dose de sentimentos e reflexões sobre o amor que ele carrega.

“Beijar Lavínia era como saltar de paraquedas para um viciado em adrenalina, e ele poderia fazer aquilo por horas”

“Ah, pelo que ele fala as coisas não deram certo; mas pelo que ela fala, eles estudavam juntos, se apaixonaram e viveram um grande amor… Até que acabou”

“Uma mulher muito sábia disse um dia que um amor verdadeiro não precisa ser o único. Que um amor verdadeiro significa amar de coração, amar por inteiro”

O amor resiste a muita coisa, minha filha, mas se tem uma coisa que o amor é incapaz de superar é um ego”

“Amar é uma coisa esquisita. Você não controla nada do que sente nem do que pensa. E, por mais que essa sensação ainda incomode Lavínia, não há mais nada que ela possa fazer agora”

“Se o coração de Daniel estivesse inteiro, ele teria se partido com essas palavras”

“Nada nela é apenas dela agora, e isso é desesperador”

“Amar uma pessoa e não poder estar com ela é pior do que não amar ninguém”

Devo admitir, porém, que o que torna esta obra tão sensacional são os tapas na cara (sutis ou não) que ela nos dá.

“E você está se formando aos vinte e quatro, tendo conhecido doze países. Acho que você está em vantagem, embora a vida não seja uma competição”

Quando você opta por ser um pai ausente durante anos, a sensação é de que você vai estar sempre em falta, o que é, além de uma sensação, uma verdade”

“Quero que sejamos honestos um com o outro, sobre tudo, mesmo sobre o que você não consegue sentir”

“Porque nem todos os amores são eternos”

“— Não é porque a sociedade decide que existem idades para fazer as coisas que essas idades são reais, tá bem?”

“Talvez a gente tenha se apegado à pessoa errada e virado as costas para quem estava gritando por socorro. — E assim você acaba de definir a adolescência”

Mas o melhor de tudo é pegar esses quotes e perceber como alguns que já faziam sentido, podem fazer ainda mais com o tempo.

“Contudo, ainda que o coração dissesse o tempo inteiro que ela precisava se manter firme em suas decisões, quando se escolhe priorizar os desejos daqueles que se ama, sofrer ao ver tudo dar errado é uma das possibilidades mais reais”

E, para encerrar, algo para nunca nos esquecermos:

“Todo mundo está passando pelo próprio processo e enfrentando os próprios preconceitos, não dá para a gente exigir que os outros tenham a nossa mesma maturidade”

Algum trecho despertou sua curiosidade? Então não deixe de ler o livro inteiro e encontrar as suas próprias passagens preferidas.

Citações #45 — O baú do Zumbi Gelado

Por mais que eu goste de um conto, é difícil sobrarem trechos dele que eu achei interessante e destaquei ao longo da leitura, mas que não usei na resenha. Isso ocorre, principalmente, devido à curta extensão deles.

No entanto, após a resenha de O baú do Zumbi Gelado, escrito por Rafael Weschenfelder, ainda fiquei com alguns quotes que gostaria de trazer para vocês e fico feliz em ter mais uma oportunidade de falar sobre esta obra sensacional!

“Sabe quando você está falando e a palavra certa foge?”

Na resenha eu comento sobre o quanto esse conto surpreende, ainda que haja elementos que — espero eu — podem se tornar marca registrada do autor.

“— Não estou jogando enquanto espero ele acordar. Estou jogando para ele acordar”

É o que acontece, por exemplo, com a naturalidade de Rafael em criar histórias que incluem conhecimentos interessantes, mesmo quando se referem a coisas um pouco mais técnicas, como já comentado na resenha.

“Um dos grandes charmes de Zumbizeira é a inteligência artificial dos NPCs. Com respostas infinitamente mais sofisticadas — e hilárias — que as da Siri da Apple e da Alexa da Amazon, conversar com eles se transformou numa espécie de passatempo para os jogadores”

Ou então com a facilidade que ele tem para criar um humor gostoso de ler.

“Se recuperou o senso de humor, está curada”

Além, claro, do fato dele inserir discussões importantes em suas histórias aparentemente despretensiosas.

“— O mundo te deu as costas. Nada mais justo que dar as costas para o mundo”

Outra característica que adoro encontrar nas histórias que leio e que apareceram muito bem inseridas em O baú do zumbi gelado são elementos do cotidiano, da cultura na qual estou inserida, da realidade em que vivo.

“Nos filmes de terror, sempre tem um cara que não acredita em fantasmas: o cientificozão, que faz piada com o sobrenatural e finge ter sido possuído quando o grupo resolve usar um tabuleiro Ouija para se comunicar com o além. Geralmente é o primeiro a morrer”

Depois de tudo isso, claro que é difícil não querer indicar a leitura de O baú do Zumbi Gelado para todo mundo, né? Então, de novo, se você ainda não leu, fica aqui o meu convite para que você conheça essa história.

“Nos encaramos por um instante. Um equilíbrio prestes a se romper”

Citações #44 — Se essa coroa fosse minha

Algumas pessoas têm um enorme pé atrás com antologias, coisa que eu até posso entender, mas não concordo. Elas são uma excelente forma de conhecer novos autores, além de carregarem muitas histórias e escritas diferentes em uma única obra.

“Mas ela ainda tinha que me dar uma chance”

O peso da coroa — Laura Machado

Uma das melhores antologias que li ano passado foi Se essa coroa fosse minha. Clicando aí no título você pode ler a resenha que eu escrevi (caso ainda não tenha lido) e entender porque gostei tanto.

“Acho que, nesse momento, todo mundo desse salão se apaixonou um pouco por Alaska. Isso é fácil. Difícil seria não se apaixonar”

Se não a coroa cai — Maria Freitas

Apesar da relativamente extensa resenha e dos vários trechos que coloquei nela, muitas outras passagens maravilhosas dessa obra ficaram de fora e agora é o momento de apresentá-las a você.

“Se eu fizesse as escolhas certas poderia fazer alguma diferença no mundo”

Não pedi pra ser princesa — Letícia Rosa

Como tentei deixar claro ao longo da resenha, essa é uma obra diferente, que vai muito além de qualquer senso comum, falando sobre uma realeza que não estamos acostumados a imaginar.

“Mas sou uma princesa. Serei uma rainha. Não tenho direito a ter sentimentos”

Adoro um amor inventado — Lyli Lua

“Quem era essa garota com quem eu teria que conviver por tempo indeterminado? E do que ela tanto fugia? Seria realmente algo tão perigoso assim?”

Paixão de Ori — Camila Cerdeira

“Quem iria querer o prolongamento de uma guerra civil só para ficar próximo da garota que gosta?”

Paixão de Ori — Camila Cerdeira

Não só por falar em sentimentos tantas vezes, mas também por trazer relacionamentos que fogem à heteronormatividade.

“Como é possível que a sociedade tenha evoluído tanto a ponto de um simples toque de dedo na têmpora poder transferir meus pensamentos para quem eu quiser, e tão pouco a ponto de forçar jovens como eu a um casamento que eles não desejam?”

Se não a coroa cai — Maria Freitas

Além disso, essa antologia aborda diversas perspectivas das relações familiares.

“Meu irmão me mostra que a vida ensina muito mais do que qualquer sala de aula”

Não pedi pra ser princesa — Letícia Rosa

“Penso no meu pai. No homem que eu nunca conheci. No espaço vazio que permaneceu em mim até que minha mãe conhecesse Sandro e ele me ajudasse a fechar aos poucos” 

Não pedi pra ser princesa — Letícia Rosa

“Tudo o que importa é que eu ganhei uma avó. E eu sinto que as lacunas que eu sentia haver na minha história agora estão perfeitamente preenchidas”

Não pedi pra ser princesa — Letícia Rosa

“Ele queria ser mais presente na sua vida, mas tinha um trabalho a fazer”

Paixão de Ori — Camila Cerdeira

E, sem dúvidas, fala muito sobre amor.

“No fim, acho que sentir falta de Drika foi o que mais nos uniu”

Se não a coroa cai — Maria Freitas

“Amar alguém é uma coisa engraçada, só de vê-lo já me sinto melhor, segura e mais feliz”

Insubmissos, Incurvados, Inquebráveis  — Tay Alvez

“O que lhes faltava em dinheiro, sobrava em amor e isso sempre foi tudo de que preciso”

Não pedi pra ser princesa — Letícia Rosa

“Me incomoda você ter passado tanto tempo achando que isso me impediria de me apaixonar por você” 

O peso da coroa — Laura Machado

“Eu já quis te dar todas as chances do mundo e achava que você nem me enxergava”

Adoro um amor inventado — Lyli Lua

Outra coisa que eu adoro encontrar nas histórias que leio e que aparece ao longo desta obra é o peso das palavras que dizemos.

“Palavras têm poder, e tronos já caíram por menos” 

O peso da coroa — Laura Machado

“Eu talvez tivesse esperado ouvir algo assim a minha vida inteira”

Paixão de Ori — Camila Cerdeira

“— A gente já perdeu tempo demais com medo, entalando palavras na garganta, você não acha?”

Se não a coroa cai — Maria Freitas

E consequentemente, como já deu para perceber, o peso dos silêncios que optamos por fazer também.

“As palavras que eu não falo ainda estão presas na minha garganta”

Se não a coroa cai — Maria Freitas

“Olho nos seus olhos e naquele momento percebo que há muito mais do que uma coroa em questão, mas também sei que não devo me meter nesse assunto”

Não pedi pra ser princesa — Letícia Rosa

“Na verdade, ela se isolou completamente, do mundo e de mim”

Adoro um amor inventado — Lyli Lua

Aliás, há diversas passagens que revelam alguma angústia ou dor, tornando os personagens ainda mais reais.

“Pela primeira vez o mar de seu lar não foi o suficiente para aliviar o aperto em seu coração”

Paixão de Ori — Camila Cerdeira

“Eu odiava ser vista como coitada. Não aceitava ser definida por essas coisas que aconteceram comigo. Meus traumas nunca seriam maiores do que eu”

Paixão de Ori — Camila Cerdeira

“Era apenas uma moeda, cinco míseros centavos, mas pesava uma tonelada em meu peito que me impedia de olhar para qualquer outro lugar”

O peso da coroa — Laura Machado

Por fim, um trechinho para nos lembrar de sempre fazer o nosso melhor, mesmo que ele pareça pouco (porque se é o seu melhor, nunca é pouco!):

“Era tudo que eu tinha, e faria o melhor que podia”

O peso da coroa — Laura Machado

Citações #43 — E se eu pudesse voltar no tempo?

A essa altura do ano, difícil não olhar para trás e pensar em tudo o que li ao longo de 2021. Porém, ainda mais difícil seria escolher a minha leitura preferida, afinal, uma vez mais, tive a sorte de me deparar com ótimas histórias ao longo deste ano. E uma dessas histórias, sem dúvidas, foi o conto E se eu pudesse voltar no tempo?, da autora Marie Pessoa.

“Mas minhas amigas achavam apenas que eu não havia encontrado a pessoa certa”

Como costumo fazer, coloquei alguns trechos ao longo da resenha, mas outros ficaram de fora e eu não poderia deixá-los de trazer aqui.

“Existem poucas coisas piores do que perder uma pessoa amada sem ao menos poder se despedir”

Esses trechos reforçam, claro, alguns dos pontos que mencionei na resenha, como o fato de Clarice — a protagonista — ter passado por algumas tantas dificuldades ao longo de sua vida.

“Eu havia desistido da vida, mas poderia ao menos proporcionar melhores dias para a mulher que nunca se permitiu descansar pelo bem do meu futuro”

Dificuldades essas, porém, que são muito reais e que nos rodeiam.

“Nosso elo era tão fraco para que qualquer ruptura pudesse ser indolor a ela?”

Além disso, o conto aborda a questão dos padrões estéticos impostos pela sociedade.

“Era bom me sentir linda enquanto tanta gente tentava provar o contrário”

E também a importância do amor próprio.

“Mas eu estava tão errada que o simples fato de entender que meu corpo era meu, somente meu, e que ele era lindo independente de qualquer padrão, me emocionava”

Porém, um dos pontos principais da história não deixa de ser a perda. Em seus mais diversos e profundos sentidos.

“Ela sentia a dor da amiga que enterrara a única filha, e chorava em todo canto porque aquilo nenhuma mãe deveria passar”

Novamente, deixo a minha forte indicação para que você conheça essa história — caso ainda não se tenha feito esse enorme favor.

“Foi naquele exato momento que o pressentimento ruim e a realidade me lembraram do que aconteceria a seguir”

Citações #42 — Querida quarentena

Você leu a resenha que escrevi com muito carinho sobre a obra Querida Quarentena, disponibilizada gratuitamente pela autora Grazi Ruzzante? Se ainda não leu, passe lá para conferir, pois eu menciono que esta é uma obra que retrata muitas dúvidas e angústias que podem ser meus, seus e de quem quiser, principalmente por não estarem relacionadas a um único aspecto de nossas vidas.

Neste post eu vou trazer mais alguns trechos dessa obra, para que você possa saborear e se convencer a ler o livro todo logo. Começarei justamente com algumas passagens que retratam as tais dúvidas e angústias que mencionei.

“Será que eu confundi minhas vontades e necessidades a vida toda?”

“Eu precisava da força que ele me dava ou da força que eu não enxergava em mim?”

“Ok, está tudo desmoronando lá fora. Mas isso quer dizer que preciso me envolver a ponto de me destruir ainda mais aqui dentro?”

“Será que eu ainda sou uma boa filha? Eu me fiz essa pergunta muitas vezes na minha vida”

Outro fator que torna ainda mais fácil a nossa conexão com essa narrativa é o fato dela ser extremamente atual, não somente por ter sido lançada em 2020, mas também por retratar exatamente o que estávamos vivendo naquele momento.

“Mas o isolamento questiona tudo”

Também tem o fato da história nos apresentar uma dor tão forte e que parece única, mas que, no fundo, sabemos que estamos sujeitos a sentir (isso se já não tivermos sentido — algumas vezes inclusive).

“Tem coisas que nem açúcar conseguiria adoçar”

“Mesmo sem sentir um fim, estamos acabados”

“Porque é triste esperar que o mundo me dê algo tão básico quanto o amor, quando eu não sou capaz de dá-lo a mim mesma”

Na resenha eu comentei sobre o quão palpável Bia é, bem como a questão do término ali apresentado.

“Vai ver ele também sente minha falta. Vai ver não tem como deixar de gostar de ninguém assim tão rápido”

“Mas precisar dele também teve um preço”

“E eu acreditei que seria para sempre”

E também comentei sobre as mudanças pelas quais ela passou (como todos nós passamos, em qualquer momento da vida).

“Eu achava que sabia o que queria”

Por fim, ressalto o quanto é difícil não trazer para dentro de nós tudo aquilo que está descrito come se fosse apenas a história de uma personagem qualquer, representada pela Bia.

“Minha hiperatividade nunca soube a hora de parar”

“Algo sempre estava errado. Algum mal-entendido sempre acontecia”

Se consegui despertar um pouco mais de curiosidade com relação a essa obra super rápida e viciante da Grazi, não deixe de visitar o perfil dela e baixar gratuitamente o seu ebook!

Citações #41 — O que restou de mim

Você chegou a ler minha resenha de O que restou de mim, do autor Abraão Nóbrega? Se não leu ainda, não deixe de passar lá! Mas se você ainda está em dúvida se vale a pena saber mais sobre esse livro, trarei aqui os trechos que não couberam na resenha. Depois disso tudo, duvido você não querer mais.

“Tudo ficou perdido num espaço entre o passado e o presente”

Apesar de retratar muito bem as dores e os sentimentos do fim de um relacionamento, O que restou de mim não se resume a isso.

“Espero que tuas estradas te guiem para a felicidade, pois, embora tenha partido o meu coração, nunca quis que partissem o teu”

“Você me abraçou como ninguém nunca o fez e, por um momento, fomos a fortaleza um do outro”

Este é, também, um livro sobre força.

“Em algum momento deixará de doer como agora”

“Os machucados ainda estão todos aqui. Uns mais recuperados que outros, porém nunca me abandonaram de fato”

Mesmo carregando, em suas palavras, uma profunda tristeza.

“Faz muito tempo que estou no escuro. E ele é assustador”

“Não sabia como lidar com aquela tempestade e com a dor que não era sua, mas que você tinha deixado para mim”

A verdade é que esse um livro palpável, sincero.

“Eu te amei achando que seria para sempre, e talvez realmente venha a ser. Mas um amor solitário, partido. Como uma chave quebrada que não abre caminho”

“Se você não tivesse desistido de mim, quem sabe o que eu poderia ter feito?”

Retrata sentimentos que qualquer pessoa que ama, em algum momento e medida, está sujeita a sentir e viver.

“Eu já não amo você. Amo a dor que me deixou”

“Pois, se há uma coisa certa, é que / só morrendo para se despedir de um grande amor”

Eu gosto do impacto que a poesia do Abraão tem, tornando impossível não querer destacar todo o livro.

“Tudo o que eu conheço é a dor, a minha dor, e já não tenho memórias do mundo sem ela”

“Como ficaria bem se uma parte de mim quebrou inteiramente?”

E gosto ainda mais pelo fato desse ser um livro extremamente contemporâneo e por falar das saudades que sentimos hoje.

“Eu sinto saudades, ah, como eu sinto. De quando eu não temia o dia de amanhã, de quando eu não temia uma dor de cabeça qualquer, ou de quando eu não temia sair de casa”

“Eu sinto saudades, em todos os dias dessa nova vida. De quem eu era e podia ser.  De quem eu amava e podia amar. E de como eu vivia e podia viver”

Enfim, O que restou de mim é um livro realmente lindo, com um projeto gráfico maravilhoso, pensado nos mínimos detalhes. Você pode adquirí-lo na versão física, diretamente com o autor, ou então aqui (ebook).

Citações #40 — Minhas escolhas

Quando escrevi a resenha de Minhas escolhas, da autora Taynara Melo, acabei deixando alguns quotes de fora e agora apresento-os a você em mais um post exclusivo de quotes literários.

Em se tratando de uma obra que aborda tanto assuntos importantes, era natural que isso acontecesse. Mas os quotes que trago hoje se referem mais a passagens reflexivas da história, falando principalmente sobre o medo, sentimento que a permeia em diversos momentos:

“O medo nos faz estacionar, impede nosso avanço”

Ainda relacionado a esse sentimento, temos também a presença da morte na narrativa:

“A morte é assim, leva embora da terra as pessoas que amamos, enquanto nós temos que continuar a caminhada, até chegar a nossa vez”

E claro que, pelo próprio título da obra, já podemos imaginar que as escolhas estão presentes nos mais diversos momentos, né? Hora porque a protagonista quer mudar de vida, hora porque ela está passando por alguma situação extremamente complicada, o que, por vezes, dificulta a nossa tomada de decisão:

“Sinto-me sem rumo e sem conseguir pensar um pouco mais além”

Partindo desse aspecto, chegamos a outra essencial também, que é o momento em que enxergamos e aceitamos que precisamos de ajuda:

“Eu precisaria de ajuda para tirar esse sentimento de dentro de mim. Eu não conseguiria mais viver com a mente perturbada”

Por fim, uma coisa que aparece realmente bastante, estando por trás de praticamente todos os temas que mencionei até aqui, são as relações entre as pessoas:

“Muitas pessoas passaram pela minha vida ao longo desses 27 anos, mas foram pouquíssimas, que eu trouxe para perto de mim e tratei como família”

E aí, o que achou desses trechinhos? Ficou com vontade de ler Minhas escolhas? Então é só clicar aqui!