Tatianices recomenda [29] — Minhas economias

Uma vez mais estou indignada comigo mesma por ainda não ter trazido essa recomendação por aqui. Até porque essa é uma indicação que eu dou para absolutamente qualquer pessoa que fala sobre finanças pessoais na minha frente. Mas ok, antes tarde do que nunca, né?

Neste post, portanto, vou finalmente falar sobre o aplicativo Minhas economias, que também pode ser usado pelo computador (mas, ressalto, vou falar do uso dele pelo celular, que é onde estou mais acostumada a usar). E vou começar explicando porque eu indico para todo mundo.

Com o Minhas Economias eu consigo ter um controle, em um único lugar, de todas as minhas contas. Pareço rica falando assim, mas quem nunca teve de ter mais de uma conta, às vezes para facilitar algo na vida, às vezes porque algum empregador solicita que você tenha conta em um banco específico. De qualquer forma, mesmo que você tenha conta em apenas um banco, esse app pode ser útil!

Cada vez que eu tenho que abrir uma conta, eu posso cadastrar uma nova conta no Minhas Economias. Para ser sincera, no meu aplicativo eu até subdivido as minhas contas entre aquilo que eu posso realmente usar, aquilo que eu tenho que guardar. E tenho “contas” também para saber quanto tenho até na minha carteira (a física mesmo). Em resumo, eu controlo todo e qualquer centavo que me pertença.

Depois que você cadastra suas contas no aplicativo, e isso é bem fácil, você só precisa dar o nome que quiser a cada uma delas e colocar o saldo inicial, ou seja, o valor que você quer que conste ali a partir do momento que você começa a usar o aplicativo.

Com as contas criadas, você vai ver que cuidar da sua vida financeira pode ser bem mais fácil do que parece (pareço muito economista falando assim, né?). Cada dinheiro que entra e sai você só precisa lembrar de abrir o aplicativo e registrar como entrada ou saída, colocando o valor, a categoria (tem várias pré-definidas) e a conta na qual o valor entrou ou saiu. Assim, os saldos das contas vão sendo automaticamente atualizados. E você também consegue registrar o que foi passado de uma conta para outra (transferências).

As categorias dos valores, principalmente os que saem de suas contas, são muito importantes, porque, ao final do mês, você consegue ver no que mais gastou (e o valor exato de gastos em cada categoria). Além disso, você também pode estabelecer metas e sonhos a serem realizados, colocando prazos e valores a serem atingidos. São ferramentas interessantes, porque você consegue dimensionar melhor o quanto pode gastar, o quanto precisa guardar e como estão os valores durante o mês.

Ah, antes que eu me esqueça, outra vantagem do aplicativo é que ele é totalmente gratuito! (E eu também não estou recebendo nada para fazer essa propaganda, é só a minha gratidão mesmo porque desde que recebo salário, eu uso isso e me ajuda muito).

Estrutura do aplicativo

A primeira coisa que você vê quando abre o aplicativo é o seu saldo total, isto é, a soma do saldo de todas as suas contas cadastradas ali. Logo abaixo, está o resultado do período, que é o tanto que você teve de entradas e saídas e, claro a diferença entre esses valores (que, ao final do mês, deve ainda estar positivo, nem que seja com um real, né?).

Depois vem os comparativos, um espaço que automaticamente compara o mês atual com o mês passado, seja no quesito entradas, saídas ou transferências entre contas. Um comentário meu aqui: eu não tenho um salário fixo, então minha renda varia mês a mês. Logo, tem mês que dá uma tristeza ver esse comparativo… Mas ele é muito importante para mim!

Em seguida tem o fluxo de caixa, que é um gráfico bem simples (de linha), mostrando a variação do seu saldo total. E, logo abaixo, aquilo que considero super importante e útil: as despesas por categoria. Você tem uma visão geral, também com um gráfico (mas, dessa vez, circular), que te mostra as categorias nas quais você mais gasta e, clicando nele, é possível ver uma a uma de maneira mais detalhada.

Por fim, temos as metas e o gerenciador de sonhos. Na meta só dá para estabelecer um valor que você precisa economizar mensalmente naquele ano e, no gerenciador de sonhos dá para cadastrar vários sonhos. Eu recomendo usar essas duas ferramentas aliadas, porque no gerenciador de sonhos você vai colocar o valor que já tem, o quanto precisa e em quanto tempo e aí ele automaticamente te mostra quanto você precisa economizar por mês para alcançar aquele sonho no prazo estipulado. Eu somei os valores dos dois sonhos que coloquei ali e coloquei como minha meta mensal de economia. Com isso, eu consigo ver quanto recebi no mês e quanto posso gastar “tranquilamente” (eu sou ruim de gastar com qualquer coisa), sabendo que economizarei o que preciso.

Mas, uma dica: nem sempre será possível efetivamente guardar os valores esperados. A vida é uma caixinha de surpresas e a gente está aqui, tentando sobreviver num país caótico. Então não se desespere e não desanime. E, claro, tente ser bem realista com relação ao que você vive e recebe.

Apesar desse post ter ficado um pouco extenso, eu apresentei bem por cima o aplicativo, mas confesso que é realmente o que eu uso dele. Até tem outras coisas, mas nunca nem fuçei!

Também gostaria de deixar claro que não sou especialista em finanças nem nada do tipo, essa foi só uma dica que me ajuda muito como reles mortal que sou. Tem pessoas que anotam seus gastos em caderninhos, no bloco de notas do celular, em planilhas do excel. Eu encontrei esse app e, para mim, ele funciona muito bem e facilita muito as coisas, porque mesmo que eu troque de celular, tenho acesso a tudo de novo depois.

Aproveito e pergunto: como você organiza as suas finanças? Ou você só vai vivendo na loucura mesmo e seja o que tiver de ser? (não recomendo, mas acontece, né).

Lista de desejos na Amazon: como e por que fazer?

Muitos viciados em livros geralmente recorrem à Amazon para comprar seus queridos exemplares (físicos ou digitais). Percebo, porém, que muita gente ainda não conhece muitas das formas possíveis de se usar esse site de maneira inteligente e até mais econômica.

Por isso, hoje eu resolvi falar um pouco sobre as listas de desejos da Amazon (ou simplesmente lista de compras). Antes de mais nada, comecemos pelo básico, não é mesmo?

Como criar uma lista de desejos na Amazon?

Em primeiro lugar, você precisa estar na sua conta da Amazon. A partir disso, siga os seguintes passos (retirados da própria Amazon. Instruções para quem está na versão desktop):

  • Vá para contas e listas (no topo da página, ao lado da barra de pesquisa) e selecione suas listas.
  • Selecione criar uma lista de desejos e insira um nome de lista.
  • Selecione criar lista.
  • Selecione o menu de três pontos e gerenciar lista para atualizar seu endereço e outras preferências.
  • Selecione salvar alterações.

Depois que você já tem ao menos uma lista de desejos criada (você pode ter quantas quiser), veja que na página de qualquer produto, abaixo daquele quadrado com os preços e opções de compra, que fica do lado direito da página (na versão desktop) existe a opção “adicionar à lista“. Se você clicar no texto, o produto será adicionado diretamente à sua lista de desejos padrão (você pode escolher qual quer que seja a padrão). Caso você tenha mais de uma dessas listas, basta clicar na setinha e escolher a qual lista você deseja adicionar aquele produto.

Sobre o gerenciamento da lista

Ao clicar em gerenciar lista, você poderá mexer em informações como nome da lista, privacidade (sua lista pode ser pública ou privada e, neste caso, somente você poderá ver os itens que estão nela), destinatário (no caso, o nome para quem vai os itens daquela lista), email, aniversário, descrição (se você quiser explicar para que serve aquela lista, por exemplo), endereço de envio (endereço para o qual serão enviados os itens da lista).

Além disso, há três caixinhas que você pode selecionar ou não:

  • Acordo de entrega de terceiros
  • Manter os itens comprados na lista
  • Manter presentes comprados em segredo

De todos esses itens editáveis, creio que nenhum é obrigatório (talvez apenas o nome da lista). Mas é válido pensar em algumas coisas:

  • Se você quer que amigos e parentes possam ver o que você deseja, sua lista deve ser pública;
  • Se você quer aproveitar a possibilidade de ganhar alguns dos itens em segredo, é importante também cadastrar o endereço de envio. Ele não ficará público para qualquer pessoa, mas possibilitará o envio de itens da sua lista sem que a pessoa tenha que te perguntar qual é o seu endereço. E a mesma coisa vale para a seleção manter presentes comprados em segredo. Neste caso, você não saberá que algum dos itens foi comprado, a menos que você tente comprá-lo (e aí a Amazon te aconselhará a não fazer isso), por outro lado, para as outras pessoas, esse produto deixa de aparecer em sua lista de desejos, evitando que duas pessoas comprem o mesmo item para você.

Além disso, você pode adicionar quantos produtos quiser, de qualquer categoria da Amazon e também pode organizar a ordem deles em sua lista.

Por que fazer uma lista de desejos?

Confesso que a minha lista de desejos na Amazon não foi criada com o intuito de ganhar presentes, mas sim de me ajudar em outra coisa: monitorar preços.

Parece estranho? Talvez, mas porque essa é uma funcionalidade que você talvez desconheça. A partir do momento que você adiciona um item à sua lista de desejos, se o valor dele diminuir, você saberá, pois a Amazon indica inclusive a porcentagem da diminuição de preço.

Além disso, como eu só tenho livros em minha wishlist (e muitos nacionais), pode acontecer do ebook ficar gratuito, então isso realmente me ajuda a conhecer novos autores sem gastar rios de dinheiro.

Também uso essa minha lista para sempre lembrar os livros que ainda quero ter e ler, mas que não estou com muita pressa de comprar (afinal, ainda tem muitos encalhados por aqui). E confesso que também tenho uma lista secreta com livros (ou mesmo outros produtos) que achei interessantes para dar de presente para outras pessoas.

Mas se você quer usar a sua lista de desejos para efetivamente ganhar presentes, é muito bacana saber que, por mais que você já demonstre o que quer ganhar, você não precisa pedir diretamente para as pessoas e também não saberá, logo de cara, quem comprou o quê.

No final de 2020 eu participei de um amigo secreto virtual e essa lista foi uma mão na roda. Cada um criou a sua e nós só precisávamos acessar a do nosso amigo secreto, escolher um ou dois itens e pronto, já seria enviado para o lugar certo. Não tinha muito como desconfiar sobre quem teria nos tirado (e nós combinamos de não olhar o remetente e nem abrir o presente até o dia e hora combinados).

E você, já conhecia a lista de desejos da Amazon? Usa esse recurso? Se quiser conhecer a minha, basta clicar aqui (livros físicos) ou aqui (ebooks). Sim, optei por separar, para facilitar a minha vida.

Pequenos (e médios) negócios para 2021

Final de ano é aquela loucura, mas confesso que eu começo a me preparar para o natal bem antes de dezembro. Não, não sou aquelas doidas apaixonadas por natal, mas eu tenho uma família muito grande e uma vontade de presentear maior ainda. Aí, já viu tudo, né?

Só que… Para que facilitar quando podemos complicar?

Em 2020, vendo toda a situação na qual nos encontrávamos, eu pensei: “bom, tentarei dar, de natal, apenas livros de autores nacionais ou produtos feitos por pequenos negócios brasileiros”. E quando decidi isso, comecei a caça ao tesouro.

Eu não tinha como gastar muito, mas se fosse para gastar, que eu desse dinheiro para pessoas que provavelmente estavam batalhando para se manter em meio a uma pandemia, né?

Claro que não consegui ser 100% fiel ao que pensei, mas acredito que eu tenha chegado bem próximo disso, principalmente porque a maior parte dos presentes realmente foi livro (obrigada, Festa do Livro da USP).

Mas o post de hoje não é para falar sobre livros (milagre!) e sim sobre pequenos e médios negócios que conheci em 2020 (ok, alguns foram antes disso) e que gostaria de compartilhar com outras pessoas. Não são locais que comprei apenas os presentes de natal, mas que, em algum momento conheci e hoje recomendo.

Artesanato

Papelaria

Produtos naturais

Roupas

Línguas estrangeiras

Bônus para quem é do Rio de Janeiro (capital)

Bônus para quem é de São Paulo (capital)

E você, já teve boas experiências com pequenos comerciantes? Não esquece do comentar aqui e divulgar pessoas que merecem esse incentivo!

Tatianices recomenda [28] — Literatura Errante

Antes de mais nada, preciso assumir que essa seção ficou um pouco abandonada neste ano de 2020, mas nunca é tarde para retomar as coisas, né? E, melhor ainda, retomar com uma super indicação para leitores e escritores.

Você já ouviu falar no Literatura Errante?

Trata-se de um projeto literário, com um espaço próprio, pensado para que você possa divulgar ou publicar seus trabalhos e textos sem custo algum. Um projeto que está crescendo e sempre agregando mais literatura e coisa boa ao nosso dia-a-dia.

Acho que seria legal, em primeiro lugar, conhecer a história do Literatura Errante, porque, através dela, podemos ter uma pequena ideia do que encontraremos pela frente. Mas, antes de vocês irem para lá, vou contar como eu conheci o Literatura Errante.

Bem, eu estava no Instagram, quando vi um post que dizia algo do tipo “você trabalha com literatura? Anuncie seu trabalho”. Resolvi fuçar um pouco o perfil que havia postado isso e descobri o Literatura Errante.

Fiquei interessada no projeto e enviei as informações para anunciar meus serviços de revisão e tradução. Por algum erro no formulário, porém, o Pablo, fundador de tudo isso, entendeu que eu estava enviando meu currículo em busca de uma vaga e, gentilmente me explicou que não tinha como contratar ninguém.

Depois de resolvida a falha na comunicação, porém, me coloquei à disposição para colaborar com o projeto e, desde então, tenho revisado alguns dos textos que, semanalmente vão ao ar. É possível encontrar todos eles aqui.

É difícil não se encantar. Imagine, toda semana ver que várias pessoas estão doando parte de seu tempo para propiciar novas leituras (gratuitas) a quem quiser acessar!

Para além disso, como eu disse antes, há sempre novos projetos no horizonte e, um deles, também acabou de se concretizar: a revista do Literatura Errante! Outro super trabalho pensado e realizado com carinho e disponível para quem quiser ler. E essa é só a primeira edição, viu?

O Literatura Errante também tem uma vitrine literária, para que autores divulguem suas obras já publicadas em qualquer plataforma (amazon, wattpad, clube do leitor) e uma página de serviços, para aqueles que trabalham com literatura (como dizia o post que eu vi).

Também é possível tornar-se membro do Literatura Errante, de maneira gratuita, ou então, se você puder colaborar financeiramente com o projeto, existem diversas opções (para todos os bolsos). Saiba sobre tudo isso aqui.

Encerro este post convidando você, leitor, a dar uma passadinha no Literatura Errante, e também nas redes sociais do projeto (Instagram, Facebook e Twitter). E depois, claro, me conte o que achou! Ah, e se você escreve, não deixe de enviar seu texto! Todos são muito bem tratados por toda a equipe errante.

Tatianices recomenda [27] — Michelle Pereira

Tatianices recomenda

Em tempos de distanciamento social pode acontecer da criatividade aflorar e de sentirmos necessidade de ocupar tempos que antes não eram ociosos. Algumas pessoas, porém, se superam nesse quesito. E hoje, aqui, venho falar especificamente sobre uma delas: a escritora Michelle Pereira.

Eu conheci (infelizmente apenas virtualmente) a autora Michelle Pereira no ano passado, quando demos início a uma parceria. Li todos os livros dela até então publicados e me encantei com a escrita dela, tão plural e criativa.

No dia 9 de abril de 2020, em seu instagram pessoal, a autora pediu para que seus seguidores dessem uma palavra a ela, que, ao longo dos dias, ela escreveria um microconto baseado em cada palavra. Essa é uma forma não apenas de exercitar a criatividade, como também de se aventurar por outros estilos e, claro, praticar a escrita. Uma ótima dica para escritores.

E gente, que presente! A Michelle consegue criar textos muito diversos e completos, mesmo que em poucas palavras. Histórias bem feitas e que, ao mesmo tempo, deixam margens para que nós mesmos nos aprofundemos nelas por caminhos diversos.

Até o momento temos microcontos com as seguinte palavras:

  • Samambaia
  • Horizonte
  • Cobra
  • Pôr do sol
  • Sonoridade
  • Amarelo*
  • Tempo
  • Metálico
  • Delírio

*Amarelo foi uma palavra sugerida por mim e, sabendo que eu gosto de romance, a autora quis escrever algo nesse estilo. Obviamente eu AMEI, mas o que me encantou mais ainda foi o quanto ela conseguiu escrever algo que me remeteu à minha própria história de amor (por si só já intimamente ligada à palavra amarelo), mesmo sem saber tanto sobre ela! É magia atrás de magia que sai das mãos da Michelle.

Mas fala sério, só por essa lista já dá para imaginar o quão desafiadora tem sido essa experiência, não? E a Michelle ainda faz tudo parecer tão natural! Se quiser conferir com seus próprios olhos, você pode ler os textos no instagram ou no Blog dela. Passem lá, leiam os contos e depois voltem aqui para me contar o que acharam. Estou curiosa com a opinião de vocês!

E também deixo aqui minhas resenhas, caso vocês ainda não conheçam as demais obras dela:

Tatianices recomenda [26] — Forest

Stay focused, be present

Depois de um tempinho sem postar nada nessa seção, hoje eu resolvi falar sobre um aplicativo que eu sempre acho que todo mundo conhece, mas percebi que não é bem assim. E trata-se de um aplicativo que pode ser muito útil nesses tempos de quarentena e home office. Então, sem mais delongas, apresento a vocês o Forest.

Trata-se de um aplicativo que te “impede” de mexer no celular durante o tempo que você escolher (entre 10 e 120 minutos). E ele faz isso de uma maneira simples, mas lúdica (ok, não sei se esse é o melhor adjetivo a se usar aqui).

A ideia é a seguinte: você tem de plantar uma árvore. Para isso, é preciso ficar longe do celular. Se você precisar usá-lo e, portanto, sair do Forest, sua árvore morre. Pode parecer bobo, mas é muito triste ver aquela arvorezinha morta no seu jardim!

E existem diversos tipos de árvores a se plantar e elas ficam diferentes conforme o tempo que você estipula para que elas cresçam. Quando você completa seu objetivo, recebe moedas por isso e, com essas moedas, pode comprar novos “modelos” de árvores.

O slogan desse aplicativo é stay focused, be present (mantenha-se focado, seja presente), no sentido de que, se você focar para fazer as suas coisas, te sobrará mais tempo para estar com quem ama. Por isso que eu digo que ele pode ser um bom aliado nesses tempos em casa…

Tenho usado muito o Forest para fazer valer o método pomodoro, que consiste em intercalar o trabalho (ou momento produtivo) com um pouco de descanso. Algumas pessoas costumam fazer é 25 X 5, isto é, 25 minutos trabalhando e 5 descansando. No meu caso, preferi adotar o que outras pessoas fazem também: 50 X 10, ou seja, 50 minutos trabalhando e 10 descansando. Isso significa que passo 50 minutos focada e aproveito esses 10 minutos não apenas para me levantar, mas também para responder mensagens no whatsapp, conferir alguma rede social, olhar o email.

É engraçado como faz diferença! Minha mente não para quieta um minuto e muitas vezes estou trabalhando e penso “nossa, preciso conferir meu saldo”, “nossa, será que eu respondi aquela mensagem”, “ah, vou conferir rapidinho essa notificação aqui”, . Sem o Forest eu vou lá e checo tudo isso no momento em que penso, perdendo totalmente a minha concentração. Com ele não, eu penso “bom, depois eu vejo isso”, e sigo trabalhando.

Vocês já conheciam esse aplicativo ou outro semelhante? Ele te ajuda?

Tatianices recomenda [25] — Skoob

Tatianices Recomenda [25]

Neste Tatianices recomenda venho falar um pouco sobre o Skoob. E esse é um daqueles posts que já deveriam ter sido escritos há tempos, mas que, ao mesmo tempo, eu não achava que fosse necessário escrever.

Para quem não sabe, o Skoob (books, de trás para frente — eu fiquei chocada quando descobri isso, ok?) é uma espécie de rede social para leitores. E foi criada por brasileiros! Eu, mesmo adorando essa plataforma, confesso que não uso nem metade dos recursos que ela disponibiliza, tudo de forma gratuita.

Mas, vamos do princípio. Para criar uma conta no Skoob, basta acessar o site https://www.skoob.com.br/. A rede também tem aplicativo disponível para Android e Ios. Tudo gratuito, tá?

Depois de criada a sua conta, você pode buscar por amigos — para acompanhar o que eles andam lendo — e entrar em grupos. Confesso que essas são coisas que não uso muito e que seriam o lado mais “rede social” do Skoob. Quem quiser me adicionar por lá, meu perfil está aqui.

Outra funcionalidade do Skoob, porém, que é a que mais uso mesmo, é a de “organizador de leituras”. Por meio dessa plataforma você pode marcar todos os livros que já leu, os que quer ler, os que está lendo, os que abandonou, os que gostaria de ter, os que tem e os que emprestou. Você ainda pode criar uma meta de leitura para o seu ano e acompanhar quantas páginas já leu (na vida ou durante o ano), pode escrever resenhas dos livros lidos, anotar o progresso da sua leitura atual e avaliar os livros.

Esse mês eu falei bastante sobre livros encalhados ou livros que preciso ler e o Skoob me ajuda a entender muito isso, porque não são apenas os livros físicos que tenho acumulado e lidar com ebooks pode ser uma bagunça!

Também dá para participar de sorteios de livros (geralmente lançamentos) e, para isso, basta ir na parte de “cortesias” e clicar em “quero participar”. Sério, só isso mesmo! E para quem acha que é balela, já ganhei dois sorteios por lá!

Mas eu confesso que quis escrever esse post para poder falar sobre o Skoob PLUS. Apesar do nome, não se trata de uma funcionalidade paga dessa plataforma. O PLUS é apenas um upgrade gratuito que te permite ser um “trocador” de livros via Skoob.

E como funciona isso? É bem simples: você marca os livros (físicos) que tem e que está querendo se desapegar como “quero trocar”, atribuindo a cada um o valor de um ou dois créditos. Qualquer pessoa que tenha esse livro como “desejado” e que seja um skoober plus verá que seu livro está disponível para troca e poderá solicitá-lo, caso tenha a quantidade de créditos necessários. E como conseguir créditos? Trocando seus livros! Ou seja, primeiro você começa enviando livros seus, para aí poder solicitar os livros que deseja. Assim que um skoober recebe um livro seu, você ganha os créditos correspondentes e ele e está apto a realizar trocas.

Aí você, leitor deste Blog, ainda cheio de dúvidas, me questiona: “tá, e porque eu me cadastraria nesse site e trocaria livros por ele se, para isso, eu vou ter que ir até uma agência do correio, pagar pra enviar um livro para, só então, poder, talvez, pedir um livro que eu queira, e que não será novo? Não é mais fácil eu ir logo numa livraria e comprar o livro novinho? Ou talvez passar num sebo? Comprar pela Amazon?”

Bom, vamos lá: em primeiro lugar, como eu disse lá em cima, é uma forma de você passar adiante livros que não quer mais, e abrir espaço para novos livros em sua estante. Além disso, ainda que você tenha de pagar para enviar seu livro, é possível enviá-lo como registro módico pelos correios, e costuma ficar super barato (acho que o mais caro que paguei não chegou a R$15,00). Por fim, você realmente não receberá um livro 100% novo, mas as pessoas costumam ser sensatas e não colocar para troca livros caindo aos pedaços (ao menos eu nunca recebi um assim). Ano passado fiz nove trocas nesse esquema e gostei bastante!

O que me motivou a escrever tudo isso foi o fato de que, ainda que muitas pessoas usem Skoob, essa é uma plataforma que ainda poderia se expandir muito — sendo extremamente útil para leitores e escritores — e também porque acho que muitas pessoas mais poderiam usar o PLUS e se beneficiar do prazer de trocar um livro (ou vários).

Claro que existem outros sites/plataformas/aplicativos com funcionalidades semelhantes, mas trouxe aqui aquele que conheço e que adoro. Quem mais usa Skoob aqui? E semelhantes?

Tatianices Recomenda [24] — dica teatral

Tatianices recomenda [24] Dica teatral

Primeiro final de semana do ano e a cidade ainda está relativamente vazia (se é que em algum momento ela fica realmente “um pouco vazia”). O teatro está lotado, numa tarde chuvosa de janeiro. As cortinas se abrem e começa o espetáculo. Senhoras e senhores, que espetáculo!

A Cor Púrpura – O Musical é uma peça baseada na obra homônima, escrita por Alice Walker e vencedora do Prêmio Pulitzer (um livro que acabou de entrar na minha lista de livros que preciso ler urgentemente). Sim, a dica de hoje é teatral, mas ainda está relacionada a livros.

Com um elenco composto 100% por atores negros, A Cor Púrpura – O Musical retrata a dura vida de Celie, uma mulher negra no início do século XX. Assistindo ao espetáculo eu só conseguia pensar como o livro que deu origem a ele deve ser incrível. E olha que eu nem tinha certeza de uma coisa: o fato dele ter sido escrito por uma mulher!

Gente, pensem: A Cor Púrpura retrata a vida (e o sofrimento) de uma mulher. Uma mulher negra. No início do século XX. É uma história que denuncia abusos, machismo e que, ao mesmo tempo, fala sobre como a mulher existe sim na sociedade, como ela pode impor respeito e, mais que isso, deve sim ser respeitada como ser humano! Ver essa peça (e provavelmente ler esse livro) é um mix de “isso não acontece”, “isso não pode acontecer”, com “isso acontece sim” e “socorro que mundo é esse em que vivemos?”. E, sim, infelizmente, por mais que retrate uma sociedade do início do século XX, a trama dessa peça é muito atual.

A peça está em cartaz no Teatro Net, em São Paulo (fica dentro do Shopping Vila Olímpia e é pertinho da estação Vila Olímpia da linha 9-Esmeralda), até meados de fevereiro. Os ingresso podem ser adquiridos aqui ou diretamente na bilheteria (opção que eu recomendo, viu!). Os valores do ingresso são um pouco salgadinhos (a inteira mais barata custa R$75,00 e a mais cara custa R$220,00), mas não vou negar que cada centavo vale. Dá para ficar arrepiado do começo ao fim e, mesmo com todo o peso da história, é possível também dar boas risadas.

Quem me chamou para ver essa peça foi minha amiga Nati, administradora do Blog (maravilhoso) Napolitano como meu pé e eu agradeço imensamente o convite e a oportunidade de ver e conhecer uma história dessas e tantas outras que você me apresenta!

 

Tatianices Recomenda [23]

Tatianices Recomenda [23]

Se chegamos ao último mês do ano, chegamos, também, ao último Tatianices Recomenda dos desafios literários que eu havia selecionado para este período. Mas calma, isso não significa que essa categoria vai deixar de existir por aqui e espero poder trazer muitas coisas boas ainda!

Os temas esse mês estão bem variados e gostosos. A começar pela Geração Editorial, que nos desafia com livros que lembram a infância. Difícil é escolher!

       

Skoob nos desafiava com livros que muitas pessoas recomendaram. Também temos várias opções para essa categoria.

       

Por fim, para o desafio da Livraria Cultura, livros de poesia!

         

E vocês, o que indicariam nessas categorias? Caso queiram conhecer melhor algum desses livros, basta clicar na respectiva capa!

Tatianices recomenda [22]

tatianices recomenda [22]

O ano está acabando e, consequentemente, os desafios que tenho trazido indicações para vocês também está chegando ao fim! Mas a lista de livros que queremos ler não acaba nunca, certo?

Para novembro, a Geração Editorial nos desafiou com um livro baseado em fatos reais. Fácil, hein? Difícil é não trazer livro triste aqui…

          O que me faz pular por [Higashida, Naoki]

O Skoob, por sua vez, nos desafiou com um livro com personagens não humanos. Um pouco mais difícil esse!

     

E, para terminar, indicações de livros publicados em 2018, para o desafio da Livraria Cultura.

    A memória do mar por [Hosseini, Khaled] 

E vocês, o quem indicam nessas categorias?