Citações #26 — Guardião do medo

Citações #26

Hoje é dia de trazer algumas citações que ficaram de fora da resenha de um livro maravilhoso: Guardião do Medo, da Michelle Pereira. Lembrando que, nessa obra, o protagonista, Alexander, não tem uma vida fácil e que, por isso, é um personagem extremamente amargurado.

“— Ninguém tem a vida que deseja ter, Alexander”

Mas, na resenha eu defendi o comportamento grosseiro de Alexander, e reitero minha defesa aqui: ele tem seus motivos para ser assim, e não são poucos.

“Eu vi o pior do ser humano, não posso voltar atrás”

Por outro lado, ao longo da história vamos nos deparando com personagens que são o oposto — em muitos sentidos — de Alexander.

“Eu sei que parece bobagem, mas algumas pessoas têm esse coração perseverante, esse coração que ainda acredita…”

E somente pessoas assim poderiam ser capazes de provocar alguma mudança no protagonista.

“Como eu poderia dormir depois daquela velha senhora quebrar alguma coisa dentro de mim? Porque ela quebrou algo, com certeza, e ainda não sei o que é”

E não bastasse toda a dor vivida, quando Alexander está entendendo que há certas belezas na vida, ele tem de lidar, também, com a morte.

“— Cada pessoa que amamos leva um pouco de nós quando parte”

E então…

O corpo nunca se acostuma com a dor”

Alexander também é uma pessoa amargurada porque, dentre outros motivos, sempre foi muito sozinho. Ou sempre acreditou ser muito sozinho.

“— Sempre que você vir uma estrela ou uma luz brilhar mais forte, saiba que eu estarei lá”

E tudo o que ele precisava era de alguém que lhe desse amor.

“Por todos esse anos, isso foi tudo o que precisei. Alguém para me dizer que as coisas iriam ficar bem”

Uma coisa que acabei não explicando na resenha — porque acabei não encontrando espaço para essa passagem — é o motivo pelo qual um Vórtice do Medo é tão importante, tanto para o bem quanto para o mal:

“— O medo é um sentimento poderoso, talvez mais poderoso que o amor. Porque o medo enfraquece, paralisa, mas o medo também move as pessoas”

Termino essas citações, portanto, com uma passagem muito importante, que devemos sempre ter em mente e refletir sobre:

“— Ninguém é tão bom quanto acha que é”

E se você ficou (ainda mais) interessado(a) em Guardião do Medo, adquira o seu aqui.

 

 

 

Guardião do medo – Michelle Pereira

Título: Guardião do medo
Autor: Michelle Pereira
Editora: Editora Garcia
Páginas: 252
Ano: 2016 (1º edição)

guardião do medo

Já adianto que falar de Guardião do medo não será nem um pouco fácil, simplesmente porque esse livro é doido demais (calma, no bom sentido!). A Michelle (autora parceira <3) disse que eu ia sentir raiva do personagem principal desse livro, mas eu, como sempre, saio em defesa desse ser… Bom, vamos à história para que vocês possam compreender tudo isso.

“Por que julgar uma pessoa pela aparência e não pelo caráter?”

Guardião do medo é narrado por Alexander Magnus, um rapaz que cresceu em um terrível orfanato — que é apresentado para nós logo nas primeiras páginas — e que, aos 20 anos é internado com câncer.

“Nunca mais senti frio. Mas também excluí qualquer possibilidade de ter um amigo”

Imaginem vocês crescer em um lugar onde não há amor, onde as demais crianças fazem bullying com você e quando você se torna um adulto, já machucado disso tudo, se descobre com uma doença que está, aos poucos, te matando por dentro?

“Eu sou um jovem que poderia ser tudo. Poderia ter sonhos. Poderia ter uma família. Poderia ter um emprego. Mas estou mergulhado na morte”

Alexander é aquele paciente que certamente todos os médicos e enfermeiras odeiam: fechado, mal-humorado, sem fé na vida. Ele apenas deseja morrer logo, mas não tem coragem de se matar, então o máximo que ele faz é não comer muito a comida do hospital. Até porque ele vive revoltado com o fato de sempre servirem sopa ou algo que não precisa ser mastigado.

“Ninguém deveria viver a vida que você estava vivendo, se escondendo dentro de mágoas e tormentos e esperando pela morte todos os dias”

Alexander é um ser descrente de tudo até que Raya aparece. Ela é a guardiã dele e tenta mostrá-lo que há um lado bom em toda essa história. E mais, que Alexander pode escolher juntar-se ao bem. Justo ele, que enquanto esperava a morte, se via indo para o inferno.

“Quando está escuro, todos os nossos medos vêm à tona. Quando não há ninguém acordado para ouvir nossos lamentos, ele parecem nos afogar”

Eu confesso que quando a Raya surgiu eu fiquei com um pé atrás em relação à história. Isso porque, no início, ela ficava tentando convencer Alexander de que ainda havia motivos para acreditar no bem. Gente, olha a história dele! Qualquer pessoa teria perdido toda sua fé na humanidade.

“—Eu não tenho motivos para achar que a ajuda chegou agora. Não há mais tempo. Não há como voltar atrás”

Mas eu gostei da transformação que se deu em Alexander. Obviamente ele não vira a pessoa mais positiva e feliz do mundo, pois isso seria muito inverossímil, mas ele se permite olhar para o lado. E isso faz com que ele conheça Mateus, converse mais com a enfermeira Lúcia e, mais tarde, venha a conhecer Marcela.

“—Mas é um fato, Alexander: você não precisa ser uma pessoa má porque as pessoas lhe fizeram mal”

Mas voltemos à Raya: ela é um anjo, uma Guardiã da Criação, e sua missão é fazer com que Alexander acredite no bem e escolha isso em sua morte. E Raya vai até as últimas consequências para convencer seu protegido. E por que? Porque Alexander é um Vórtice do Medo, uma criatura poderosíssima tanto para o bem quanto para o mal. E obviamente as Filhas de Daemon, ou seja, o lado mau, está vencendo dentro do coração de Alexander.

“É melhor não tentar entender isso pela lógica. É melhor apenas sentir”

O espaço da história é bem restrito — ela se passa basicamente no hospital — e, ainda assim, nos surpreendemos com o tanto de coisa que pode acontecer nesse ambiente tão “controlado”. A narrativa, como eu disse, é feita por Alexander, mas há alguns interlúdios escritos por Raya também. E ela, além de esconder muitas coisas de Alexander, nos esconde muitas outras. Que personagem misteriosa e intensa!

“Como ela podia ter olhos tão expressivos?”

Se você quer ler um livro que parece que trará elementos “normais” e, de repente, te joga no olho do furacão, trazendo diversos mistérios, imprevistos e angústias, recomendo Guardião do medo. Só não seja como o Alexander: não tenha pressa de descobrir as respostas, porque quando elas chegam, meus amigos… Que reviravolta!

“Acho que não posso confiar em ninguém”

Você ficou curioso(a) com as escolhas de Alexander? Então clica aqui para adquirir seu ebook de Guardião do Medo!