Andata e ritorno — B. A. Polinari

Título: Andata e ritorno 
Autora: B. A. Polinari 
Editora: Publicação independente 
Páginas: 262 
Ano: 2021

[Leia esta resenha ao som de Con te partirò — Andrea Bocelli]

Andata e ritorno (que, em português significa “ida e volta”) é um livro que contém duas histórias paralelas e, ao mesmo tempo, transversais: no presente, conhecemos Stella e suas aventuras, narradas em primeira pessoa; no passado, temos Gildo e sua dura vida, narrados em terceira pessoa.

A verdade é que Stella é uma jovem que decide embarcar rumo à Itália para tentar descobrir mais sobre seu avô — Gildo — e, ao mesmo tempo, reconectar-se consigo. Então, enquanto ela narra sua própria história, ela também conta sobre a infância, a adolescência e a vida adulta de seu avô.

Como tantas famílias ítalo-brasileiras, a de Stella é marcada por imigrações, batalhas e recomeços.

“É incrível como deixamos de prestar atenção em nós mesmos quando vivemos cercados de outras pessoas”

O que a jovem não imaginava era que a sua própria história poderia se assemelhar tanto à de seu avô: ao longo de sua viagem, Stella conhece Guido, que transforma sua vida e faz com que ela precise fazer escolhas que não estavam em seus planos.

“Naquelas cartas talvez encontrasse a resposta para meus questionamentos constantes”

Com a história de Gildo, mergulhamos em uma Verona antiga, que viveu a guerra. Conhecemos uma família grande, cheia de amor e que, unida, passa por diversas provações.

“Por algum motivo, a ideia de que sua família estava sofrendo com sua suposta morte o machucava muito mais do que as dores que sentia ou as feridas que ainda não haviam cicatrizado por completo”

A história de Stella, por sua vez, nos fala sobre a solidão de estar em um país estrangeiro, a saudade, os fantasmas do passado.

As narrativas, como eu disse, não são apenas paralelas, mas transversais, e é gostoso perceber como, apesar do anos e das diferenças, Stella não nega o sangue que tem.

Andata e ritorno é uma publicação independente, baseada em fatos reais, que vai te transportar em inúmeras viagens. 

A diagramação da obra é confortável, com impressão em papel pólen e belos detalhes que minuciosamente adornam as páginas.

Se esta história te interessa, adquira seu ebook abaixo ou veja a possibilidade de também adquirir um exemplar impresso entrando em contato com a autora. Aliás, aproveite e já acompanhe o trabalho dela em suas redes sociais (Site | Instagram).

A música do silêncio – Andrea Bocelli

Título: A música do silêncio
Original: La musica del silenzio 
Autor: Andrea Bocelli
Editora: Generale
Páginas: 320
Ano: 2013
Tradução: Claudia Zavaglia

(Leia ao som de Con te partirò)

Antes de escrever qualquer coisa sobre este livro preciso confessar uma coisa: eu não sabia que Andrea Bocelli é cego!

Em A música do silêncio, Andrea Bocelli dá vida a Amós Bardi, que é ninguém menos que o próprio autor transformado em personagem para preservar a identidade de outras pessoas que aparecem na história. Mas basta prestar atenção às iniciais do personagem e do escritor e você começará a perceber as semelhanças…

A escrita deste grande tenor italiano é leve, quase como uma conversa, fluida. Além disso, o autor se dirige ao leitor em alguns momentos, nos tirando da ficção e nos lembrando que trata-se de uma história real. Como não poderia deixar de ser, o único personagem que conhecemos a fundo é Amós, o que não nos impede de compreender bem as relações deste com as demais pessoas que o cercam.

Através de Amós conhecemos, então, toda a vida de Andrea Bocelli, desde sua feliz infância, apesar de todas as dificuldades, passando por sua adolescência até a vida adulta e, por fim, o sucesso. Entramos em contato com suas dúvidas, seus medos, seus amores, suas conquistas.

“Ó amarga adolescência, ó verdes anos nos quais a felicidade e a serenidade inconscientes podem, inexplicavelmente, causar desconforto, solidão, tristeza…”

A música do silêncio (pg.76)

No quarto capítulo do livro o autor resolve dar um sobrenome a seu personagem, que passa a ser Amós Bardi. Neste mesmo capítulo somos apresentados à sua família e seus costumes.

Mesmo com os percalços da vida, Andrea Bocelli conseguiu manter-se, na maioria das vezes, positivo e sua narrativa é, muitas vezes, otimista. Nascido cego, o cantor italiano enxergava luzes e cores com o olho direito. Após um triste episódio – cuja narração no livro chega a ser angustiante – ele perde inclusive esta capacidade. Ainda assim, o jovem encontra forças para seguir adiante: forma-se em Direito, bate de porta em porta atrás de uma gravadora que acredite em seu trabalho, continua sempre a estudar, busca melhorar sua performance musical. Um dia, finalmente, a vida lhe sorri. E tudo muda, tornando Andrea Bocelli o nome que conhecemos hoje.

“Conclusão: cada um de nós nada mais é do que a soma de todas as próprias experiências e conhecimentos”

A música do silêncio (pg.99)

A música do silêncio é, portanto, um livro encantador. Uma história que prende e que nos ensina. Uma narrativa suave, mas ao mesmo tempo real e até mesmo doída. Andrea Bocelli não é apenas um grande tenor, é também uma pessoa cheia de sentimento e lirismo, algo que fica evidente ao longo das páginas deste livro, principalmente quando ele fala de seus sentimentos e de seus amores.