Citações #13 — Aristóteles e Dante descobrem os segredos do universo

Quem quer ler mais algumas citações incríveis de Aristóteles e Dante descobrem os segredos do Universo, de Benjamin Alire Saénz? Trata-se de um livro publicado no Brasil pela editora Seguinte, em 2014. A história aborda os mais variados temas, como alguns dos mistérios da vida (algo que já fica um pouco claro pelo título do livro, não?):

“O riso era outro mistério da vida” (p.27)

“Aposto que às vezes é possível desvendar todos os mistérios do Universo na mão de uma pessoa” (p.156)

Esse trecho aí de cima é lindo, não?

Para além dos segredos da vida, esse livro fala, como pudemos perceber, sobre o amor, o maior sentimento que podemos ter. Mas também fala sobre outro sentimentos que pode ser comum a muitos de nós: a solidão:

“A solidão dos homens é maior que a das crianças” (p.95)

Sobre isso, podemos pensar muitas coisas, afinal, por que a solidão dos adultos é maior? Provavelmente porque as crianças não têm tanto medo de viver, de se machucar, de se decepcionar. E, com isso, aceitam todos aqueles que queiram estabelecer alguma relação com elas. Definitivamente, temos muito a aprender com as crianças!

Segundo este livro, poderíamos aprender também com os pássaros, algo que não posso deixar de concordar:

“Se estudássemos os pássaros, poderíamos aprender a ser livres” (p.67)

Para quem nunca leu Aristóteles e Dante, vale dizer que é uma obra que também fala sobre amizade, carinho, medos e bondade:

“Mas o Sr. Quintana era valente. Não lhe importava que o mundo inteiro soubesse de sua bondade” (p.116)

E, como não poderia deixar de ser, mais uma vez Benjamin Alire Sáenz destaca muito o poder da palavra, algo que realmente é importante ressaltar. Uma arma e tanto que temos à nossa disposição 24 horas por dia:

“As palavras ficam diferentes quando passam a morar dentro de você” (p.42)

Aristóteles e Dante descobrem os segredos do Universo – Benjamin Sáenz

Título: Aristóteles e Dante descobrem os segredos do Universo
Original: Aristotle and Dante discover the secrets of the Universe
Autor: Benjamin Alire Sáenz
Editora: Seguinte
Páginas: 390
Ano: 2014 (1º edição)
Tradução: Clemente Pereira

Aristóteles e Dante descobrem os segredos do Universo foi o segundo livro de Benjamin Alire Sáenz que li , apesar deste livro ter sido lançado no Brasil antes de A lógica inexplicável da minha vida. Pensando nesses dois livros, é possível notar muitos elementos em comum, mas cada história possui suas surpresas e sua narrativa cativante.

Além disso, a leitura desse livro foi ainda mais especial para mim, pois ao longo das páginas havia vários recados deixados por meu melhor amigo. Cada um desses recados enriqueceu ainda mais minhas impressões e reflexões, além de me deixar muito feliz.

O livro é narrado por Aristóteles, um jovem que, assim como Salvador (de A lógica inexplicável da minha vida), tem muitas dúvidas com relação à vida. Aristóteles é um pouco mais novo que Sally, mas ambos estão em uma fase realmente conturbada: os anos de ensino médio, cheios de dúvidas, medos e descobertas.

“Acho que eu era um mistério até para mim mesmo”

Aristóteles e Dante descobrem os segredos do Universo (p.26)

Aristóteles é um jovem bem soturno (o que também torna a narração deste livro mais taciturna que a de A lógica inexplicável da minha vida). Ele mora com os pais e tem duas irmãs bem mais velhas, além de um irmão sobre o qual ninguém fala, pois ele está preso. Fora isso, seu pai é uma pessoa muito calada e guarda muita coisa dentro de si, principalmente as sombras do seu passado na Guerra do Vietnã.

“Não falar pode deixar alguém muito solitário”

Aristóteles e Dante descobrem os segredos do Universo (p.22)

Durante as férias de verão Aristóteles faz uma amizade, coisa rara para ele. Seu novo amigo chama-se Dante (até eles riem dessa “coincidência”).

“Dante se tornou mais um mistério em um mundo cheio de mistérios”

Aristóteles e Dante descobrem os segredos do Universo (p.28)

Juntos, Aristóteles e Dante descobrem os segredos do Universo vivem momentos únicos: eles conversam, jogam, trocam conhecimentos, discutem… Enfim, fazem o que seres humanos “normais” fazem juntos (eles vivem batendo na tecla de que não são normais).

“- Ninguém sabe exatamente o que está fazendo”

Aristóteles e Dante descobrem os segredos do Universo (p.58)

Por falar em “bater na mesma tecla”, Aristóteles tem uma péssima autoestima. Além de ser fechado ele consegue se autodepreciar o livro inteiro! Fora que ele acha que é o único que tem dificuldades de entender a si mesmo e se encontrar.

“O mundo de Dante tinha ordem”

Aristóteles e Dante descobrem os segredos do Universo (p.40)

Os adultos também são importantes nessa história e estão representados, principalmente, na figura dos pais de Aristóteles e dos pais de Dante.

“Fiquei pensando que poemas são como pessoas. Algumas pessoas você entende de primeira. Outras você simplesmente não entende… e nunca entenderá”

Aristóteles e Dante descobrem os segredos do Universo (p.40)

Com relação às semelhanças entre este livro e A lógica inexplicável da minha vida, temos ainda o fato de que ambas as histórias se passam em El Paso, os jovens possuem uma questão com a identidade (entre mexicana e americana), as delineação das relações familiares e sociais, a questão da amizade, a homossexualidade, os conflitos internos pelos quais os jovens passam, a questão da lealdade… Enfim, há várias temáticas que realmente retornam.

“Às vezes, você só precisa contar a verdade às pessoas. Elas não vão acreditar. E deixarão você em paz”

Aristóteles e Dante descobrem os segredos do Universo (p.178)

Outra semelhança é a estrutura dos livros: ambos são divididos em partes, que ganham um título e uma frase (ou citação) e os capítulos são apenas numerados. As partes (e suas respectivas frases) de Aristóteles e Dante descobrem os segredos do Universo são:

1. As diferentes regras do verão

O problema da minha vida era que ela tinha sido ideia de outra pessoa.

2. Pardais que caem do céu

Quando criança, costumava acordar achando que o mundo ia acabar

3. O fim do verão

Lembra-te do verão chuvoso… Deves deixar cair tudo o que quiser cair (Karen Fiser)

4. Letras sobre uma página

Há certas palavras que nunca aprenderei a escrever

5. Não se esqueça da chuva

Virando vagarosamente as páginas em busca de sentido (W. S. Merwin)

6. Todos os segredos do Universo

Por toda a minha juventude te busquei, sem saber o que buscava (W. S. Merwin)

Estou encantada com as histórias de Benjamin Saénz. Ele consegue falar de temas muito importantes de maneira que a história não fica nem chata e nem óbvia. Há sempre algum acontecimento que vem para modificar toda a ordem das coisas (muitas vezes já caótica) e há sempre um mistério que perdura até os momentos finais do livro. A narrativa nos permite um ritmo agradável, com altos e baixos que nos prendem, tensionam e depois nos tranquilizam.