Me poupe! — Nathalia Arcuri

Título: Me poupe! — 10 passos para nunca mais faltar dinheiro no seu bolso
Autora: Nathalia Arcuri
Editora: Sextante
Páginas: 176
Ano: 2018

Você, leitor acostumado a acompanhar esse blog, vai — apenas de início, porque vou explicar tudo aqui — estranhar o post de hoje.

Vamos começar por uma faceta minha que vocês provavelmente não conhecem: eu me preocupo com dinheiro. Isso porque, infelizmente, vivemos em uma sociedade em que praticamente tudo depende dele.

“Antes de comprar qualquer coisa ou pagar por um serviço, o que quer que fosse, eu me perguntava: ‘Será que existe um modo mais barato de ter/fazer isso?’ Em geral, existia”

Por outro lado, tive muita sorte na vida: além de crescer em uma família de leitores, cresci em uma família que sabe administrar o próprio dinheiro, que também se preocupa em ter uma reserva para o futuro e, o mais importante, que constrói e me ensina a construir a minha reserva desde que eu nasci.

“Ter dinheiro sobrando é bom, mas saber multiplicá-lo para realizar sonhos audaciosos é ainda melhor”

Isso tudo significa que ler esse livro foi uma experiência um tanto quanto… Interessante. A opção por fazer essa leitura foi minha (não estou escrevendo nada disso por ter parceria com a autora ou com a editora) e mesmo imaginando que encontraria muita coisa que eu ao menos fazia ideia, também imaginava que poderia encontrar algo de novo. E realmente encontrei, mas esse não será necessariamente o foco deste texto.

Para quem não sabe, a Nathalia Arcuri tem um Blog e um canal no youtube com o mesmo nome do livro que estou apresentando aqui. Eu mesma, confesso, nunca havia efetivamente acessado essas redes, apesar de já ter ouvido falar nelas. Mas aproveitei um dia de gratuidade do ebook e resolvi baixá-lo para ler.

O propósito da Nathalia é ensinar as pessoas a cuidar do próprio dinheiro, fazendo com que poupemos uma parte e, claro, façamos investimentos para que esse dinheiro poupado possa se multiplicar.

O trabalho dela é muito bem feito — confesso que não me aprofundei muito no Blog ou no canal, mas o livro é bem interessante, como eu disse lá no início — e, de certa forma importante. Mas ainda que ela diga que quer ajudar o maior número possível de brasileiros, sei que, lendo o que li, ela ainda está muito longe disse. E é muito fácil identificar isso pelo que ela conta no livro.

“Quando a gente tem um objetivo, poupar se torna muito mais fácil, racional e, sobretudo, estimulante”

Em primeiro lugar, ela vem de um lugar social muito parecido com o meu: uma família bem estruturada, informada. Isso já a coloca anos luz à frente de MUITOS brasileiros. Não bastasse isso, ela começou a se preocupar com dinheiro desde pequena, ainda que não tivesse uma poupança ou investimentos desde aquela época. Nem todas as famílias conseguem transmitir esses valores para seus filhos e sabemos como nos espelhamos demais em nossos pais nessas coisas.

Mas, o ponto crucial: quantos brasileiros sustentam uma família com menos de um salário mínimo? Mesmo que essa pessoa corte muitos gastos, faça milagres, não há magia que faça um salário mínimo ser suficiente para sobreviver e ainda investir para ter no futuro. Infelizmente.

“O essencial nada mais é do que a sua vida no presente”

A autora até já busca se precaver dessas pequenas críticas em seu texto. Mas a sua argumentação não me convenceu. As dicas dela podem ser aplicada por mim, por exemplo. Mas é muito claro que ainda somos uma pequena parcela da população brasileira.

Confesso que ler esse livro no atual momento também foi um mix doido de sensações aqui dentro. Os dias têm sido uma caixinha de surpresas e não consigo me ver aplicando as sugestões que a Nathalia dá, porque, para isso, você precisa ter uma ideia de quanto recebe no mês e, desde que comecei a trabalhar, ganhar de alguma forma meu próprio dinheiro, esse tem sido meu momento mais instável. Ainda estou em busca de formas de voltar a ter um salário e, enquanto isso não acontece, vou fazendo o que está ao meu alcance e adiando os planos que precisam ser adiados.

Uma das coisas que achei interessante, porém, é que desde o início do livro a Nathalia procura nos ajudar a acabar com uma doença que ela chama de “dinheirofobia”. Isto nada mais é do que o nosso medo de falar sobre dinheiro e de se preocupar de maneira saudável com ele. Sabe aquela vergonha de pedir um aumento, de enxergar que estamos afogados em dívidas? Tudo isso é dinheirofobia e, segundo a autora, o nosso primeiro grande empecilho para melhorarmos as nossas finanças. Ok, desse ponto eu já duvido um pouco, mas não 100%.

“Passo 1. Fale sobre dinheiro antes de o dinheiro faltar (e ele não vai faltar)”

Outro elemento que eu gostaria de destacar (afinal não vim aqui só criticar, mas sim trazer a minha opinião sincera) é a linguagem. O livro todo é como uma conversa com o leitor. Um diálogo super tranquilo, sem termos econômicos assustadores. Muito pelo contrário, aliás, a autora conseguiu me esclarecer algumas coisas básicas, mas muito úteis.

Por fim, eu gostaria de fechar essa resenha com um trecho que, ainda que fale sobre as nossas escolhas com relação ao nosso dinheiro e à nossa própria vida, também serve muito bem para o momento delicado que vivemos e que não podemos ignorar.

“O que não percebemos muitas vezes é que, ao não tomar uma atitude e permanecer na mesma situação, também estamos fazendo uma escolha”

Se você se interessou por esse livro, clique aqui.