O canto das sereias — Ingrid Sousa

Título: O canto das sereias — um conto do universo de "O despertar da profecia"
Autora: Ingrid Sousa
Editora: Lettre
Páginas: 13
Ano: 2020

Serena e Sooará são gêmeas, nascidas durante uma lua de sangue. Devido ao momento em que nasceram, porém, foram logo abandonadas à própria sorte, que, no entanto, sorriu para elas e lhes deu uma nova família, onde viveram felizes por certo período de suas vidas.

“Serena era meiga, corajosa e sempre disposta a proteger sua irmã. Já Sooará era astuta, tinha sempre uma resposta na ponta da língua, e vivia em busca de novas aventuras”

Realmente havia algo de diferente naquelas meninas. Quando Sooará ficava irritada, os objetos que estavam perto dela começavam a se mexer e se chocavam contra a parede. E a única coisa capaz de acalmá-la e restituir a ordem ao lugar era sua irmã, Serena.

Enquanto aquilo só ocorria dentro de casa, os pais iam levando. Mas um dia uma dessas cenas se deu no meio do vilarejo e, então, todos passaram a temer aquela família, dizendo que aquelas crianças eram amaldiçoadas.

Mas também não era como se dentro de casa tudo ocorresse às mil maravilhas. Serena e Sooará tinham dois irmãos mais velhos, filhos de sangue dos pais adotivos das meninas. E um desses irmãos adorava provocar Sooará… Até o dia que fúria dela foi imensa.

“Ela olhou para as duas meninas e pensou que, até aquele momento, nunca se arrependera de ter salvo aquelas pobres crianças indefesas. Mas tudo mudara naquele exato instante, quando percebeu que não havia mais chances”

“O canto das sereias” é um conto e, como tal, é de rápida leitura. A história que ele nos traz, porém, é forte e, se quisermos ir além, carrega algumas mensagens importantes. Trata-se de uma narrativa que nos mostra como, apesar de tudo, devemos agir com o coração e ouvir aquilo que ele acha certo a ser feito, ainda que estejamos assumindo um risco; também é uma história que, de certo modo, nos mostra o perigo de fazermos piada com aquilo que é diferente de nós.

E então, ficou com vontade de ler “O canto das sereias”? Então clica aqui.

O alquimista prodígio e a espada de cobre — Leblon Carter

Título: O alquimista prodígio e a espada de cobre — Saga Alla
Autor: Leblon Carter
Editora: Djinn
Páginas: 265
Ano: 2019

Se tem uma coisa que me deixa doida (e que eu provavelmente já comentei por aqui) é ouvir dizer que não existem boas fantasias escritas no Brasil. Será que não existe mesmo ou nós é que não conhecemos o que tem sido produzido por aqui?

“A vida é engraçada… sempre no dá a oportunidade certa na hora certa”

Talvez uma das nossas grandes referências atuais do gênero fantasia seja Harry Potter (apesar das inúmeros polêmicas que J. K. Rowling vem se envolvendo), mas vocês já leram O alquimista prodígio e a espada de cobre?

Nesta história conhecemos Aúcia, uma influente cidade. Nela vivem Alla e Elissa, duas jovem que sonham em estudar na Foulst, a mais importante escola de alquimia para jovens. Mas os pais de ambas não são muito favoráveis a essa escolha e elas passam suas últimas férias tentando convencê-los de que é aquilo que desejam.

Nesse meio tempo, vamos conhecendo um pouco mais de Aúcia, mas também conhecemos, de um outro lado da história, alguns jovens que parecem estar numa missão, em busca de objetos que aparentam grande valia. A líder desse grupo é Luana Lavoisier.

Se está te parecendo que a história irá girar ao redor de bem (Alla) e mal (Luana), sinto informar que você está tirando conclusões precipitadas. A verdade é que a única coisa que fica clara ao longo das páginas é que é muito difícil delimitar até onde o bem e o mal realmente vão.

“— São vidros espelho. Cada pedacinho mostra uma imagem diferente de você… o que há de mais profundo na sua alma. Várias personalidades, maneiras, faces suas, e cada uma delas é revelada pelos espelhos. Quando eles se juntam você vê quem realmente é. O pedaço inteiro de si mesma. Todas as suas camadas escondidas são reveladas”

Podemos, assim, dividir a trama em dois grandes núcleos, que vão se alternando, com uma certa predominância da narrativa focada em Alla. Aqui, portanto, acompanhamos a jovem em seu primeiro ano na Foulst, ao lado de Elissa e do mais novo amigo delas: Ernest.

Como todo primeiro ano em uma instituição, os jovens têm de enfrentar poucas e boas. E aqui é importante ressaltar algo: Alla não é uma aluna popular. Muito pelo contrário, aliás, em diversos momentos é possível captar certo bullying dirigido a ela. Mas é muito interessante perceber que, para além de toda a rivalidade que jovens costumam alimentar entre si, são muitas as situações em que os alunos precisam se juntar de verdade para superar um obstáculo.

Esse núcleo da história, portanto, é recheado de ação (na medida certa — e isso, para mim, é uma qualidade essencial. Ação em excesso pode tornar a leitura cansativa demais, por mais paradoxal que isso pareça), lições e claro, uma pitada de romance e rivalidade adolescente.

O segundo núcleo, por sua vez, é o que foca na missão de Luana. Devido ao seu passado, Luana precisa manter-se escondida, então ela comanda as ações de seu grupo, que tem de se dividir em busca dos objetos necessários para construir uma pedra filosofal. Por meio dessa parte da história, podemos conhecer um pouco mais do passado de Aúcia e também de alguns personagens relativamente centrais à história.

Assim, O alquimista prodígio e a espada de cobre é um livro que vem para animar o coração dos leitores ávidos por uma boa fantasia, mas que, ao mesmo tempo, nos deixa com um gostinho de “quero mais” e a certeza de que queremos continuar a leitura dessa série.

Ficou com vontade de conhecer Aúcia e todos os seus mistérios e encantos? Então clica aqui.

Quando a noite cai — Alessandra Ribeiro de Abreu

Título: Quando a noite cai — a profecia
Autora: Alessandra Ribeiro de Abreu
Editora: Lettre
Páginas: 44
Ano: 2020

quando a noite cai blog

Quando a noite cai é uma fantasia escrita, principalmente, para você, que gosta de lobos, mas não só! A leitura é super rápida, porém este é apenas o primeiro livro, haverá uma continuação. E, definitivamente, o final nos deixa com aquele gostinho de “quero mais”. Este primeiro livro é mais introdutório, nos apresentando os personagens e os cenários da história. Mas não se engane, a narrativa não é nada monótona ou maçante, muito menos superficial.

“O mundo ainda era um caos, talvez até pior”

Logo de cara somos apresentados a Ryan e Rob, dois irmãos que têm sangue lobo.

“Existiam duas espécies de humanos. Humanos cem por cento normais e humanos com sangue de lobo”

Mesmo sendo parentes, porém, eles são muito diferentes: Ryan tem aquele jeito malvado e sempre pronto para aprontar, enquanto Rob é tranquilo e deseja o bem de todos. Por meio desses dois personagens podemos compreender, também, que alguns humanos com sangue lobo são bons (como Rob), enquanto outros se acham superiores (como Ryan).

“Não considerava os humanos fracos, muito pelo contrário. Admirava a capacidade que certas pessoas tinham de se doar pelos demais e era fascinado pela intensidade do amor que sentiam”

A apresentação desses dois personagens, porém, é só o início. Depois deles, conhecemos Joe, um ser humano que tem uma triste história de vida: perdeu seus pais quando ainda era criança. E eles foram, justamente, assassinados por um lobo. Mas não um qualquer, da raça Lýkos, como a maioria, mas um da raça Lýnk, que é ainda mais poderosa e destrutiva.

Movido pelo ódio e pelo desejo de vingança, Joe se torna um caçador, isto é, um dos profissionais responsáveis por manter Lýkos na linha e caçar os poucos Lýnk restantes (ainda que a maioria acredite que não resta mais nenhum deles…).

“Ia encontrar esse bicho e fazê-lo pagar por cada morte que causou. Custasse o que custasse”

O que mais me surpreendeu nessa narrativa foi que, mesmo ela sendo rápida e se tratando de uma fantasia, há diversas passagens que nos fazem refletir sobre nosso papel no mundo e sobre como enxergamos a nós e aos outros.

“A mesma ladainha estava para acontecer. Seres humanos culpando uma raça inteira por culpa de alguns que burlavam o sistema, como se seres da sua própria espécie não fossem capazes de coisas piores”

Apesar do seu desejo de vingança, Joe é um personagem muito sensato e é o que mais nos faz pensar. Agora, para saber como todas essas histórias se cruzam e se ele será ou não capaz de realizar o seu desejo, só quando o segundo livro sair. Guenta coração!

Se interessou por essa história? Adquira seu ebook aqui ou o livro físico em pré-venda aqui.