Tatianices recomenda [18]

Tatianices Recomenda [18]

Muitos veem agosto como um mês interminável, mas eu vejo meses intermináveis como uma oportunidade de ler e aprender mais e mais. E, como todo mês trago aqui indicações de leituras para os desafios propostos pela Geração Editorial, pelo Skoob e pela Livraria Cultura, dessa vez não poderia ser nem um pouco diferente. Aproveitem esses 31 dias e leiam algo novo!

A Geração Editorial nos desafiou com um livro que tenha ganhado o prêmio Pulitzer. Essa categoria já apareceu nos desafios do Skoob, em Março. No entanto, até aquele dia, eu não sabia que O sol é para todos era um livro que se encaixava nessa categoria! E esse é um daqueles livros que eu acho que todo mundo deveria ler.

Skoob, por outro lado, nos desafia com um mangá ou HQ. Esse é um tipo de leitura que não costumo fazer, mas justamente esse ano li um mangá e tem duas HQ’s que eu sempre indico:

       

E, para terminar, a Livraria Cultura nos desafia com uma biografia não autorizada. Isso sim é desafio: acho que nunca li uma biografia não autorizada, por isso, não tenho nada a indicar nesta categoria.

Para saber mais sobre cada um dos livros indicados, basta clicar na imagem!

E vocês o que indicariam?

O cão que guarda as estrelas – Takashi Murakami

Título: O cão que guarda as estrelas
Original: Hoshi Mamoru Inu
Autor: Takashi Murakami
Editora: JBC
Páginas: 124
Ano: 2014
Tradução: Denis Kei Kimura

Quem acompanha esse blog sabe que essa é a primeira resenha que faço de um mangá. Isso porque não costumo ler mangás. Porém, ganhei esse do meu namorado e me aventurei nesse universo literário.

Antes que vocês se perguntem por que meu namorado meu deu um mangá se eu não costumo ler mangás, posso adiantar algumas coisas: em primeiro lugar a capa. Girassóis são importantes para nós; em segundo lugar, nunca é tarde para ler algo diferente, não é mesmo? Fora isso, ele descobriu depois o significado do título e concordamos que é lindo. Segundo a explicação da propria epígrafe do livro:

“Hoshi mamoru inu”: em tradução literal, o cão que guarda as estrelas. É uma expressão japonesa usada para descrever uma pessoa que quer algo impossível. A origem vem da imagem do cachorro que fica olhando o céu como se desejasse a estrela”

Este mangá encontra-se divido em 4 partes, além de ter um posfácio. Ele é narrado por um cachorro que vai contando sua vida ao lado, em primeiro lugar, de sua família: Miku — uma garotinha —, papai e mamãe (é assim que Happy, o cachorro, os chama).

“Quando as coisas vão mudando aos poucos, depois de alguns anos, acabam mudando bastante”

O cão que guarda as estrelas (p.16)

Um belo dia, porém, mamãe  decide se separar de papai, que passa a viver com praticamente nada. Ele perde seu lar, sua família e muitos pertences. As poucas coisas de valor que lhe restam são Happy e seu carro, que eles utilizam para empreender uma longa viagem.

“Às vezes as pessoas culpam os outros pelos seus fracassos para se sentirem melhor”

O cão que guarda as estrelas (p.42)

É essa viagem que acompanhamos até o final da terceira parte desse mangá, chegando ao desfecho da história de Happy e papai. Lado a lado eles vão atravessando o Japão, até que, sem dinheiro e sem documentos, passam a viver definitivamente no carro.

“Não estou triste porque ele roubou meu dinheiro, mas sim porque ele não consegue mais confiar nos outros”

O cão que guarda as estrelas (p.39)

A quarta parte conta uma outra história, que, no entanto, se cruza com a história de papai Happy. E essas histórias se cruzam justamente no ponto em que termina a história de nossos protagonistas.

Por ser um mangá, li a história rapidamente. Não posso negar, contudo, que me emocionei bastante. É uma narrativa cheia de altos e baixos e muito sentimentalismo. E uma história que fala, acima de tudo, sobre sonhos, como já indicava o título.

“Você deseja, deseja e mesmo assim não consegue realizar. Mas é por isso que continua sonhando”

O cão que guarda as estrelas (p.121)
Se interessou por esse mangá? Compre aqui.