Um namorado para minha mãe — Rafa Alves

Título: Um namorado para minha mãe
Autora: Rafa Alves
Editora: Publicação Independente
Páginas: 85
Ano: 2020

Este conto começa com um clichê clássico: uma mulher que descobre que está sendo traída e volta aos prantos para casa. Mas a mulher em questão tem algo diferente de tantos clichês: uma filha.

Esta variável acrescenta algumas questões interessantes à narrativa, como o fato de Bianca — a protagonista — demonstrar uma preocupação e um apego enormes à menina, uma vez que fora abandonada grávida (sim, isso mesmo, ela foi abandonada grávida, depois entrou em outro relacionamento e se descobriu traída).

Só com isso, já levantamos três pontos importantes: o abandono que muitas mulheres sofrem ao se descobrirem grávidas e as consequências psicológicas que isto traz não apenas para a mãe, mas também para o filho. Além, claro, do medo de se viver a própria vida e de se permitir sentir e amar novamente. Cada passo que Bianca dá, ela pensa no que isso influenciaria Vivi, sua filha. Nas consequências que isso poderia trazer para a pequena.

Mas Vivi é uma menina doce, carinhosa e que quer, a todo custo, juntar sua mãe com o “tio preferido” que é ninguém menos que o melhor amigo de Bianca. Amigo, este, que esteve ao lado dela em todos os momento, inclusive da gravidez e que, querendo ou não, sempre foi quase um pai para Vivi.

Claro que o fato de uma criança arquitetar planos para juntar a mãe com alguém já diz muita coisa sobre o que ela vive e como ela se tornou uma mini adulta. Mas confesso que, enquanto lia Um namorado para minha mãe não pensava muito em todos esses aspectos.

Com uma narrativa doce e envolvente, a história simplesmente vai fluindo diante de nós e é difícil não se apaixonar pelas mulheres da narrativa e não torcer por um final feliz, principalmente depois de todo esse passado conturbado de Bianca.

Além disso, este conto é uma boa e rápida forma de conhecer a escrita da autora Rafa Alves, visto que ele não está relacionado à série Escolhas, que também é super gostosa de ler.

Se quiser saber mais, clique aqui.

Faz de conta que é amor — Rafa Alves

Título: Faz de conta que é amor — Trilogia escolhas
Autora: Rafa Alves
Editora: Réserver
Páginas: 298
Ano: 2020

Faz de conta que é amor é aquele tipo de livro que eu sempre comento aqui que adoro ler: um romance despretensioso, mas que acaba nos arrancando algumas lágrimas ou algumas risadas. Neste caso, foram mais lágrimas mesmo.

“Às vezes, desejos são somente desejos, mas a esperança que temos sobre eles é o que deixa tudo mais mágico”

No prólogo do livro, nos encontramos cinco anos antes da história que leremos depois. Amanda já namorava há quatro anos com Edu e tinha certeza que, naquela noite, seria pedida em casamento. Muito pelo contrário, porém, ela leva um pé na bunda e descobre que fora traída. E mais: o Edu a traiu com Vanessa, sua amiga! Ah, os clichês maravilhosos que já começam dando um toque de “não pode ser” com “quero ver essa mulher dar a volta por cima”.

“Não preciso dizer como mudei ao saber que minha vida era uma completa mentira”

O primeiro passo que Amanda dá é, como uma boa fujona, mudar de cidade. E recomeçar. Mas, obviamente, cinco anos depois, ou seja, no momento em que se passa a história, ela tem de voltar para sua cidade natal e por dois motivos: estar presente no casamento de sua melhor amiga e também para assumir, temporariamente, um cargo importante na empresa que trabalha.

“Cada um tem um limite de algo que consegue suportar”

Mas voltar nunca é fácil. Menos ainda quando o noivo de sua melhor amiga e Edu são melhores amigos. E, para completar esse tenebroso cenário, Edu está noivo de Vanessa. É muita coisa para uma pessoa só, né?

“Não quero que você se machuque, eu não vou estar aí para juntar os caquinhos”

E é aqui que entra Cadu na história. Amanda decide fingir que está noiva também e Cadu acaba sendo a sua vítima. Mas eles mal se conhecem quando essa loucura toda começa!

“Todos nós queremos alguém que cuide de nós, e que nós também possamos cuidar. Ninguém é diferente nisso”

Talvez você esteja se perguntando quem é Cadu. Bem, ele é um cara meio complicado, meio fechado e… filho do chefe de Amanda. Mas ele acaba topando embarcar nessa loucura dela e… Só lendo para descobrir de verdade onde tudo isso vai dar!

“Eu acabei de beijar de verdade… O meu noivo de mentira!”

Mas se tem uma coisa que eu posso adiantar é que Amanda é aquela mulher com a qual muitas vão se identificar. Alguém que, depois de uma grande desilusão amorosa, prefere ficar sozinha, por medo de se entregar novamente, ainda que reconheça que seu coração continua firma e forte na capacidade de amar.

“Cadu tem razão, eu sempre desisto de lutar quando estou machucada”

Cadu também é um personagem muito interessante. O mistério que o envolve nos atrai. Sabemos que há algo no passado dele que o deixa tão fechado e tão… Com medo de se entregar. Como Amanda.

Agora Edu… Esso só nos faz passar raiva mesmo! Mas a história precisava de um personagem desses, para nos deixar de olhos bem abertos, sempre!

Faz de conta que é amor foi uma leitura tranquila de se fazer, daquelas para passar o tempo. E se você quer saber como termina (ou não) a história de Amanda e Cadu, clique aqui.