Livre para voar — Ziauddin Yousafzai

Título: Livre para voar: a jornada de um pai e a luta pela igualdade
Original: Let her fly: A father's journey and the fight for equality
Autor: Ziauddin Yousafzai e Louise Carpenter
Editora: Companhia das Letras
Páginas: 162
Ano: 2019
Tradutor: Denise Bottmann

livre para voar blog

(Leia essa resenha ao som de A modo tuo — Ligabue)

É muito difícil ler Eu sou Malala e não ficar impactado com essa leitura que nos transforma e muda nossa maneira de ver o mundo. Esse é um dos meus livros preferidos e quando descobri que havia um escrito pelo pai dela, logo quis ler também. Infelizmente, o logo demorou um pouco, mas, como sempre, veio no momento certo.

Livre para voar já nos impacta no título. Não só pela beleza da imagem, mas porque qualquer um que conheça minimamente a realidade de onde vêm Malala e Ziauddin Yousafzai, sabe que “liberdade” não é uma palavra muito comum. Menos ainda se dirigida a uma mulher.

“Realmente acredito que as normas sociais são grilhões que nos escravizam”

(p. 56)

Ao longo desta obra (que é bem curta, na verdade), conhecemos um pouco mais o pai de Malala — Ziauddin Yousafazai — e, por meio de suas histórias, acabamos conhecendo mais a fundo também sua família e sua cultura.

“Comecei a repensar as ideia culturais de meu pai, do pai dele e de todos os pais do Paquistão de outrora”

(p. 46)

Ainda que Ziauddin só tenha vindo a conhecer essa palavra muitos anos depois, não podemos deixar de pensar em feminismo ao ler essa obra. Principalmente porque, quando falamos sobre esse assunto, tendemos a desconsiderar qualquer opinião ou palpite masculino, afinal, essa não é “a causa deles”, o lugar de fala deles.

Com a narrativa de Ziauddin, porém, temos de reconhecer que algumas lutas serão impossíveis sem os homens. Se ele não fosse quem é, se não tivesse conseguido refletir sobre a própria forma como foi criado, a Malala que conhecemos hoje não existiria. Ela seria apenas mais uma menina do Paquistão, dona de casa, que viveria em função de seu marido.

“Meu pai via as qualidade especiais de Malala, via como a respeitávamos e a valorizávamos, e foi assim que descobriu que uma menina vale tanto quanto um menino”

(p. 57)

Já deu para imaginar que esse livro, apesar de curto, é bem denso, certo? Certíssimo! De maneira leve vamos conhecendo mais a fundo o Paquistão e as consequências das ações do Talibã. De maneira não tão leve, vamos acompanhando a jornada de um pai que luta pela igualda feminina e, mais que isso, que incentiva sua filha a erguer a voz em uma sociedade onde mulheres sequer são consideradas parte da família.

“Ser esposa era um papel, e sem uma esposa uma casa não sobrevivia”

(p. 42)

Esse foi um livro que, enquanto lia, queria comentar com todo mundo, mas, ao mesmo tempo, não conseguia comentar com ninguém, pois precisava absorver cada linha dele. Um livro que eu queria abraçar forte, ao mesmo tempo que precisava desse abraço para poder ler as suas páginas.

“Vi meninas incríveis que foram obrigadas a renunciar à sua educação e a seu futuro. Essas meninas nunca tiveram uma chance de ser quem eram”

(p. 12)

Enquanto o Eu sou Malala é uma leitura e tanto para jovens (mas não só), Livre para voar é excelente para pais que querem refletir sobre a maneira como educam seus filhos, ou então para aqueles pais que se sentem sozinhos, travando batalhas grande demais. Ziauddin Yousafzai só sentiu medo do que estava fazendo, da mudança que estava construindo, quando ameaçaram (e atingiram) seu calcanhar de Aquiles: Malala, sua adorada filha.

“Mas há aí uma mensagem: os sonhos dos pais podem ser um fardo”

(p. 65)

Mas, sem dúvidas, ambos os livros são uma inspiração para qualquer um que esteja disposto a tornar-se mais humano e que queira expandir seus horizontes culturais e sociais.

“É assim que acredito que se dá a transformação social. Ela começa por nós”

(p. 62)
Ficou interessado(a) em Livre para voar? Então clica aqui.

3 comentários em “Livre para voar — Ziauddin Yousafzai

Se gostou, comente aqui (;

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s