Caro professor – Ana Maria Machado

Título: Caro professor
Autora: Ana Maria Machado
Editora: Global
Páginas: 191
Ano: 2017 (1º edição)

Como explicado na apresentação deste livro, Caro professor reúne textos escritos por Ana Maria Machado para uma revista de educação que tinha como público alvo professores do ensino fundamental. Os textos eram publicados mensalmente e eram apresentados como uma espécie de carta. O “diálogo” mantém-se nítido mesmo com as cartas reunidas em livro.

“Gente que lê (e fala com entusiasmo do que leu) desperta nos outros a curiosidade para seguir seu exemplo e procurar ler também”

Caro professor  (pg. 20)

O livro é curto (ou talvez seja o fato dele ser composto por cartas que nos dá essa impressão) e possui uma linguagem simples e direta, sem termos técnicos relacionados à educação ou áreas afins, o que torna a leitura possível para todos aqueles que gostam de textos sobre projetos sociais, leis, acontecimentos históricos, causos cotidianos, educação (em sentido amplo), viagens. Um livro, portanto, eclético e divertido.

“E ler literatura é incomparável. Uma oportunidade de vivenciar algo único: a alteridade. Quer dizer, ser outro, continuando a ser o mesmo”

Caro professor (pg. 136)

Caro professor traz 60 cartas escritas entre 2008 e 2014. A organização dele é cronológica e, por vezes, podemos perceber como certas temáticas são recorrentes para a autora (ou talvez para seus leitores, uma vez que ela escrevia seus textos com base em cartas que recebia).

É difícil escolher um texto preferido, mas fiquei positivamente surpresa e feliz ao ler duas cartas sobre projetos de leitura. Eu acabara de ler A arte de ler e este assunto ainda ecoava em minha mente. Em Ler juntos a autora fala do projeto homônimo, que ocorre em Ballobar, na Espanha. Já em Um olhar cheio de esperança, Ana Maria Machado apresenta alguns projetos de estímulo à leitura que ocorrem no Brasil.

Também gostei muito de Palavrinhas mágicas, em que a autora narra uma história interessante de alunos que se surpreenderam com o simples “Boa tarde!” que uma funcionária distribuía a todos na entrada da escola. Este fato fez com que tal funcionária se desse conta de como palavras de cortesia estavam sendo subestimadas e subutilizadas.

“Hoje sabemos que somos nada. Que a vida é o lampejo do cisco. Que o que amamos é infinitamente precioso”

Caro professor (pgs. 54 e 55)

Fiquei encantada ainda com Todos podem fazer, que fala do projeto Candoco. Conhecem? Pois é, eu também não, mas após o convite da autora, entrei no site deles e adorei! E do mesmo modo que Ana Maria Machado nos convidou a conhecer este projeto, convido vocês a conhecer o livro dela.

Se interessou? Adquira o seu em formato ebook ou físico aqui.

Se gostou, comente aqui (;

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s