TAG: dia da semana em livros

Para começar a semana, resolvi responder uma TAG que vi ano passado no blog Meow Books e que, na época, pensei que um dia poderia responder. Será que eu consigo? (sim, porque eu sempre me empolgo com TAG’s que acho criativas, mas depois nunca sei muito bem o que responder…).

Como o próprio nome já diz, a ideia é pensar em livros relacionados aos dias da semana, de acordo com as categorias elaboradas por quem criou a TAG (e, como eu disse, muito bem pensadas).

Domingo – Um livro que você não quer que termine ou não quis que terminasse

Eu costumo dizer que tem livros que os personagens me acompanham por alguns dias, mesmo depois de concluída a leitura. Isso geralmente significa que a história foi gostosa de ler, imersiva e que eu me senti amiga deles. Isso aconteceu com O demônio no campanário, da Michelle Pereira, livro que eu sempre indico para todo mundo (e se você ainda não tinha me visto indicar, aqui está a sua chance de conhecer esse livro incrível).

Segunda – Um livro que você tem preguiça de começar

Não sei se preguiça ou medo, mas já até cheguei a tentar e ainda não fui adiante, o grande clássico da literatura brasileira: Grande Serão Veredas (Guimarães Rosa). Acredito que existam momentos certos para lermos determinadas obras. Quem sabe um dia, né? Dizem que este é um livro que realmente precisa-se superar as primeiras muitas páginas. Como não ando conseguindo ler nem mesmo coisas mais leves, talvez seja melhor adiar mais um pouco essa leitura.

Terça – Um livro que você empurrou com a barriga ou leu por obrigação

Por falar em clássicos da literatura brasileira… Um livro que eu li por obrigação, empurrando com a barriga e que, por fim, não terminei de ler, foi Iracema (José de Alencar). Tive que ler ele para a escola (e, em tese, para o vestibular), mas não consegui chegar até o final não.

Quarta – Um livro que você deixou pela metade ou está lendo no momento

Além de Iracema, já deixei pela metade a obra A professora de piano (Janice Y. K. Lee). No momento, tenho me demorado na leitura de Tamara Jong: a última flor do paraíso (José M. S. Freire) [a obra é muito bacana, de fantasia, mas é longa e estou fazendo uma leitura crítica, somente por isso a leitura tem sido demorada].

Quinta – O livro de quinta. Um livro que você não recomenda

Para não ser injusta, vamos de livro internacional, né? Há quem ame e quem odeie, sou desse segundo time: Uma casa no fundo de um lago (Josh Malerman). Ok, sou da opinião que odiar é uma palavra muito forte, mas essa foi uma obra que não me convenceu e que, com certeza, seria uma das últimas que eu indicaria a alguém que me pedisse sugestões de leitura.

Sexta – Um livro que você quer que chegue logo (lançamento ou compra)

Tô super ansiosa pela versão física de Cigarro e Anéis no Rabo do Gato, do Maicon Moura. Quero muito ter esse livrão (em tamanho pocket) na minha estante!

Sábado – Um livro que você quis começar novamente assim que ele terminou

Geralmente eu sinto muito isso com livros de suspense/thriller, por perceber que havia coisas lá do início (que nem sempre lembro com clareza) que faziam mais sentido do que poderia parecer em um primeiro momento. Mas, de cabeça, a obra que eu consigo mencionar aqui não é desse gênero: Os doze signos de Valentina, da Ray Tavares. Foi um livro que gostei bastante e que leria de novo logo em seguida só para ter mais e mais dele comigo.

E aí, conhece alguma das obras que eu mencionei? Quais seriam os seus escolhidos?