TAG: Redes Sociais

Mais um mês se iniciando e nada melhor que tentar fazer isso de forma leve, certo? Ainda mais sendo este o mês de agosto, aquele que as pessoas dizem que nunca acaba. Por isso, o post de hoje será uma TAG e a escolhida da vez é uma que vi no blog Ilivros e Listas, da Samantha. Ela postou a TAG literária Redes Sociais no ano passado e desde então tenho vontade de respondê-la. Vem comigo?

1-Facebook: um livro que todo mundo tem

Já começou difícil, né? É complicado pensar num livro que todo mundo tenha, porque os gostos podem ser muito variados. O meu próprio gosto é uma loucura. Ao mesmo tempo, eu poderia mencionar aqui algum clássico de Machado de Assis ou então algo mais hype, tipo Crepúsculo ou John Green, mas só de pensar nessas possibilidades eu já imagino que uma pessoa que tenha um, talvez não tenha o outro.

2-Twitter: um livro com poucas páginas

Aqui também eu poderia citar uma infinidade de obras. E olha que estou apenas pensando em obras que sejam pequenas, mas incríveis. Para não deixar passar, vou citar Meu menino vadio (Luiz Fernando Vianna), que fala sobre um assunto importante e interessante: o autismo.

3-Tumblr: um livro que todo mundo ama

De novo, acho difícil mencionar algo que todo mundo ama, mas não me lembro de conhecer alguém que já tenha lido Persépolis (Marjorie Satrapi) e que tenha críticas a essa HQ… Ô livrinho bom para aprender e ainda se encantar com a obra como um todo.

4-Pinterest: um livro que te inspirou

Muitos livros me inspiram, mas o que me inspirou a voltar para cá foi A arte de ler ou como resistir à adversidade (Michèle Petit), uma leitura que vai fazer qualquer um que tenha vontade de incentivar a leitura delirar.

5-Orkut: um livro que foi muito popular, mas está esquecido

Não é exatamente um livro, mas vou te dizer que faz tempo que não ouço falar de Nicholas Sparks… Ele ainda escreve? Publica? Alguém sabe algo?

6-Youtube: um livro criativo, com uma história original, inovadora

Essa aqui é para citar um e deixar milhares de outros fora… Sacanagem! Mas lembro que amei Os quase completos (Felippe Barbosa) e acho que quase ninguém conhece essa história.

Vou confessar que responder essa TAG foi muito mais difícil do que eu imaginava. Então agora te lanço essa bomba: o que você colocaria em cada uma dessas categorias?

TAG: dia da semana em livros

Para começar a semana, resolvi responder uma TAG que vi ano passado no blog Meow Books e que, na época, pensei que um dia poderia responder. Será que eu consigo? (sim, porque eu sempre me empolgo com TAG’s que acho criativas, mas depois nunca sei muito bem o que responder…).

Como o próprio nome já diz, a ideia é pensar em livros relacionados aos dias da semana, de acordo com as categorias elaboradas por quem criou a TAG (e, como eu disse, muito bem pensadas).

Domingo – Um livro que você não quer que termine ou não quis que terminasse

Eu costumo dizer que tem livros que os personagens me acompanham por alguns dias, mesmo depois de concluída a leitura. Isso geralmente significa que a história foi gostosa de ler, imersiva e que eu me senti amiga deles. Isso aconteceu com O demônio no campanário, da Michelle Pereira, livro que eu sempre indico para todo mundo (e se você ainda não tinha me visto indicar, aqui está a sua chance de conhecer esse livro incrível).

Segunda – Um livro que você tem preguiça de começar

Não sei se preguiça ou medo, mas já até cheguei a tentar e ainda não fui adiante, o grande clássico da literatura brasileira: Grande Serão Veredas (Guimarães Rosa). Acredito que existam momentos certos para lermos determinadas obras. Quem sabe um dia, né? Dizem que este é um livro que realmente precisa-se superar as primeiras muitas páginas. Como não ando conseguindo ler nem mesmo coisas mais leves, talvez seja melhor adiar mais um pouco essa leitura.

Terça – Um livro que você empurrou com a barriga ou leu por obrigação

Por falar em clássicos da literatura brasileira… Um livro que eu li por obrigação, empurrando com a barriga e que, por fim, não terminei de ler, foi Iracema (José de Alencar). Tive que ler ele para a escola (e, em tese, para o vestibular), mas não consegui chegar até o final não.

Quarta – Um livro que você deixou pela metade ou está lendo no momento

Além de Iracema, já deixei pela metade a obra A professora de piano (Janice Y. K. Lee). No momento, tenho me demorado na leitura de Tamara Jong: a última flor do paraíso (José M. S. Freire) [a obra é muito bacana, de fantasia, mas é longa e estou fazendo uma leitura crítica, somente por isso a leitura tem sido demorada].

Quinta – O livro de quinta. Um livro que você não recomenda

Para não ser injusta, vamos de livro internacional, né? Há quem ame e quem odeie, sou desse segundo time: Uma casa no fundo de um lago (Josh Malerman). Ok, sou da opinião que odiar é uma palavra muito forte, mas essa foi uma obra que não me convenceu e que, com certeza, seria uma das últimas que eu indicaria a alguém que me pedisse sugestões de leitura.

Sexta – Um livro que você quer que chegue logo (lançamento ou compra)

Tô super ansiosa pela versão física de Cigarro e Anéis no Rabo do Gato, do Maicon Moura. Quero muito ter esse livrão (em tamanho pocket) na minha estante!

Sábado – Um livro que você quis começar novamente assim que ele terminou

Geralmente eu sinto muito isso com livros de suspense/thriller, por perceber que havia coisas lá do início (que nem sempre lembro com clareza) que faziam mais sentido do que poderia parecer em um primeiro momento. Mas, de cabeça, a obra que eu consigo mencionar aqui não é desse gênero: Os doze signos de Valentina, da Ray Tavares. Foi um livro que gostei bastante e que leria de novo logo em seguida só para ter mais e mais dele comigo.

E aí, conhece alguma das obras que eu mencionei? Quais seriam os seus escolhidos?