O que restou de mim — Abraão Nóbrega

Título: O que restou de mim
Autor: Abraão Nóbrega
Editora: Lettre
Páginas: 221
Ano: 2021

Comecei a escrever essa resenha ao som de Apenas mais uma de amor e acho que é um bom jeito de introduzir esse livro que não é apenas mais um de amor, mas talvez de desamor e tantos outros sentimentos. Uma leitura catártica, que, contudo, eu não indicaria somente para quem está passando por todas as fases de um término recente, mas para qualquer pessoa que goste de ver sentimentos escritos com precisão e profundidade nas páginas de um livro.

“Não posso ter certeza de mais nada porque eu não sei como seria”

Acho que podemos começar a nossa visita a essa obra pelo próprio título e também pela capa. Todos os elementos dessa soma já indicam a intensidade do que virá pela frente. E nada mais justo do que fazer a leitura como a imagem ali estampada: de peito aberto (mas não necessariamente dilacerado). Ah, detalhe: você precisa ver a capa toda aberta para se surpreender ainda mais!

“Choveu em mim como há muito tempo não acontecia”

O que restou de mim é um livro de poemas e prosas poéticas. Ou quase poéticas, como é chamada a própria parte que as reúne.

“Sigo meus dias de chuva olhando para o mar revolto que me circunda”

Por falar em partes, o livro contém cinco delas e seus títulos continuam nos revelando um pouco da força do que encontraremos ao longo da leitura:

  • Parte I – A dor
  • Parte II – A paixão
  • Parte III – A saudade
  • Parte IV – A (des)ordem
  • Parte V – Prosas (quase) poéticas

O ordem escolhida para as partes me agrada, porque em “A paixão” conseguimos tomar um fôlego entre “A dor” e “A saudade” (esta também carregada de dor). Além disso, percebemos como, através de poesias diversas, o autor vai contando uma história. Uma história que pode ser sua, bem como de qualquer um de nós, leitores.

“O amor é como um pássaro que aparece no céu apenas uma vez a cada século. E amar é a liberdade de voar junto”

Aliás, o fato dessa ser uma história que pode pertencer a cada um de nós, torna difícil falar desta obra, porque acredito que cada leitor pode experimentar a leitura de uma forma única e totalmente pessoal.

“Nós nos desencontramos, você seguiu em frente, ignorou minha presença e levou consigo qualquer chama de alegria que tivesse sido acesa no meu coração”

Eu mesma, tive duas experiências: li o livro primeiro como revisora e, depois, como leitora. Mas não foram os papéis diferentes que me fizeram ter duas leituras diversas, e sim o momento que as realizei: da segunda vez, eu entendia muito mais o eu lírico da obra.

“O chão sob meus pés se despedaçou e eu fui arremessada para um abismo sombrio, desesperador e sem fim, que ele construiu pra mim”

Para além da escrita maravilhosa e real, o que surpreende nessa obra é a atualidade dela: é muito bom ver nossos sentimentos escritos como os vivenciamos hoje e não como eles eram sentidos séculos ou mesmo décadas atrás. Até mesmo a pandemia se faz presente ao longo das páginas.

“Eu sinto saudades, ah, como eu sinto! De quando números eram números… e não vidas”

Por falar em saudade, a parte que mais gostei foi a terceira. Acho que ela carrega uma certa dor, um certo amargor, mas na medida certa. Não que nas outras partes não sejam assim, mas talvez seja, justamente, porque sinto saudade numa intensidade muito forte, o que me leva, de novo, a lembrar que essa é uma leitura muito pessoal, muito única para cada leitor.

“Nada me dá a resposta e, novamente, apenas sigo no meu caos particular”

Assim sendo, só me resta indicar essa leitura! Tanto a edição física quanto a digital estão incrivelmente lindas (o que já podemos imaginar pela capa, né?). O ebook você pode comprar na Amazon (e ele também está disponível no Kindle Unlimited) e o livro físico você pode entrar em contato com o autor para adquirir.

Se gostou, comente aqui (;

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s